Connect with us

Natureza Incrível

Prestes a morrer no comércio de carnes, cão conhece que família que o mostra como ser feliz

Published

on

Clover é um cão da raça Golden Retriever que hoje vive a vida dos sonhos. Ele adora explorar lugares novos, brincar com todos seus brinquedos e se aconchegar em sua caminha quente. É claro que ele não despensa o carinho sem medidas da sua ‘mãe’ humana. Suas melhores amigas são as galinhas que vivem pertinho dele, mas isso não o faz gostar menos de brincar com outros cães.

Ele realmente ama a vida que tem, mas não apenas por tudo o que tem hoje. O cãozinho tão feliz aproveita cada dia, pois há um ano quase morreu da forma mais cruel. Clover, antes de conhecer pessoas boas, passou dias dentro de uma pequena gaiola com pouca comida e água. Muitas vezes, ele e seus companheiros não tinham outra escolha a não são sobreviver comendo restos de outros cães.

Isso porque ele era criado para o abate, no comércio de carne canina da China. Ninguém sabe se ele nasceu na fazenda ou se já havia sido animal de estimação de alguém antes de ser roubado por criminosos. O que se sabe é apenas que o golden retriever que tinha e tem tanto amor para dar, viveu dias de pesadelo.

De acordo com estatísticas, cerca de 10 milhões de cachorros são abatidos para a industria alimentícia em alguns países asiáticos. Muitos deles são forçados a assistir a outros cães serem mortos ou jogados vivos em água fervente para serem vendidos em um mercado ou restaurante. Infelizmente, isso na China ainda é algo legal. O exemplo mais triste do país é o Yulin Dog Meat Festival, que celebra a carne de cachorro todo mês de junho.

O começo da mudança de vida

Quando tinha apenas um ano de idade, Clover já estava morrendo de fome e doente. Era apenas uma questão de tempo antes de ser morto em um matadouro em Changchun, na China, um dos maiores centros de carne de cachorro do país. Mas em julho de 2016, tudo isso mudou. Um grupo de monges budistas, que muitas vezes negociam com comerciantes de carne de cachorro nos mercados para que entreguem os animais, foram donos de Clover e alguns outros cães.

Logo depois, um ativista chinês afiliado à organização de resgate, Rushton Dog Rescue, do Reino Unido, organizou cuidados veterinários para que o cão pudesse ser tratado por sua longa lista de doenças. O grupo tinha acabado de iniciar uma iniciativa para resgatar cães dentro do comércio asiático de carne, e o golden retriever foi um dos primeiros.

Ao longo dos próximos meses, ele se recuperou lentamente de pneumonia, sarna e cinomose canina. A organização de resgate decidiu contar a história do cãozinho em suas páginas das redes sociais. Foi assim que Skye Wardle, de Gloucester, na Inglaterra, viu posts sobre ele e instantaneamente se apaixonou.

“Nós sempre ouvimos sobre o Yulin Dog Meat Festival, mas eu não acho que estávamos conscientes de que cães são mortos na China todos os dias durante todo o ano antes disso”, disse Skye ao site The Dodo. “Minha mãe sempre quis adotar um desses cachorros, e quando vimos o Clover, achamos que ele era perfeito. Tivemos goldens toda a nossa vida”. Mesmo sem terem encontrado o cão pessoalmente, mãe e filha o já sentiram como se fosse parte da família.

Chegando em casa

Foi apenas no Natal de 2016 que os Wardles receberam Clover em sua casa. Assim que chegou, ele já ganhou um saco repleto de brinquedos. “Ele ficou louco”, disse Skye. “Eu não acho que ele já tinha visto um brinquedo antes e ele absolutamente os amou desde o primeiro dia”. O comportamento brincalhão e doce de Clover é evidente em tudo o que ele faz. Apesar do que ele suportou na fazenda, ele não tem nada além de amor por todos.

“Ele se encaixou na vida familiar tão rapidamente – ele até adora as galinhas. Ele vai se sentar com elas com tanta paciência e elas irão correr para sua tigela tentando roubar um pouco de comida. Ele é um menino tão gentil e doce”, disse. Através das mídias sociais, Skye conectou-se com os proprietários de outros sobreviventes do comércio de cães, assim como Clover. Uma deles é Angel, uma Pastor-belga Malinois, que foi resgatada do mesmo matadouro.

Natureza Incrível

A árvore mais alta do mundo está na Califórnia.

Published

on

A árvore mais alta do mundo é uma sequoia vermelha e possui cerca de 115 metros de altura.

Esse gigante da natureza está dentro do Parque Nacional das Redwoods, na Califórnia. Ela é conhecida nos Estados Unidos como coast redwood.

A localização exata da árvore não é revelada, em uma tentativa de preservar o espécime.

No entanto, todos os anos muitos curiosos tentam chegar perto do Hyperion, uma referência a um dos titãs da mitologia grega.

O governo norte-americano resolveu jogar duro com esses desbravadores e anunciou uma multa de até US$ 5 mil e uma pena de até 6 meses para quem descumprir as regras.

Uma obra linda da natureza, um presente para nós!

Continue Reading

Natureza Incrível

“Meu urubu não é meu animal de estimação, é meu filho”. Então tá!

Published

on

Em dezembro de 2021, um filhote de urubu macho havia sido encontrado em uma lixeira. Como não conseguiram achar o ninho a ave morreria se fosse deixada sozinha.

Então, a ONG entrou em contato com o Guia turístico Mendes, que morava ali perto.

“A primeira vez que o vi, ele parecia em um estado tão ruim que pensei que ele não sobreviveria”, disse Mendes, de 35 anos, à BBC.

O pequeno Urubu foi adotado pelo Guia o que incluiu um processo legal e fiscalização das autoridades ambientais brasileiras. Eles achavam que quando o pássaro crescesse, ele teria muito espaço para passear.”

Após sete meses, homem e pássaro voaram juntos várias vezes, resultado de uma incrível história de ligação humano-animal.

Mendes chama Urú de “filho”, inclusive na conta que criou para a ave no Instagram, que tem mais de 23 mil seguidores.

Fonte

Continue Reading

Natureza Incrível

Gato de guarda! Por que não?

Published

on

Um homem do Mississippi disse que seu gato de estimação ajudou a evitar um assalto em sua casa, e ele acredita que a chita possivelmente salvou sua vida.

Bandit, uma gata de 9,1 quilos, vive com seu dono aposentado Fred Everitt no subúrbio de Tupelo, em Belden. Quando pelo menos duas pessoas tentaram invadir sua casa compartilhada na semana passada, a gata fez tudo o que pôde para alertar Everitt sobre o perigo, disse ele ao Northeast Mississipi Daily Journal.

“Você ouve falar de cães de guarda”, disse Everitt, 68. “Este é um gato de guarda.”

A tentativa de roubo ocorreu em algum momento entre 2h30 e 3h da manhã de 25 de julho, disse Everitt. Ele foi acordado pela primeira vez pelos miados de Bandit na cozinha. Então, ela correu para o quarto, pulou na cama e começou a puxar o edredom dele e arranhar seus braços. Everitt sabia que algo estava errado.

“Ela nunca tinha feito isso antes”, disse Everitt. “Eu disse: ‘O que há de errado com você?’”

Everitt levantou-se para investigar e viu dois jovens do lado de fora da porta dos fundos. Um tinha uma arma e o outro estava usando um pé de cabra para tentar arrombar a porta, disse ele.

Everitt disse que quando pegou uma arma e voltou para a cozinha, os intrusos já haviam fugido. Everitt disse ao jornal que não chamou a polícia.

Ele disse que a situação poderia ter sido diferente sem Bandit.

“Não se transformou em uma situação de confronto, graças a Deus”, disse Everitt. “Mas acho que é só por causa do gato.”

Everitt adotou Bandit da Tupelo-Lee Humane Society há quatro anos.

Fonte

Continue Reading

Destaques