Conecte-se conosco

A Boa do Dia

6 dicas para manter memória afiada como a do neurocientista Richard Restak.

Publicado

em

Com o passar dos anos, lembrar-se das coisas parece cada vez mais difícil. Onde deixei as chaves do carro? Como se chama a filha daquela prima distante? Qual o nome do ator daquele filme de que eu tanto gostava?

Mas este processo de desgaste da memória não é inevitável. Quem garante é Richard Restak, neurologista e professor da Faculdade de Medicina e Saúde do Hospital da Universidade George Washington, nos Estados Unidos. Ele é autor de cerca de 20 livros sobre a mente humana.

O renomado cientista tem 81 anos, cabelos grisalhos e memória impecável. E afirma que, se exercitarmos nossa memória diariamente, da mesma forma que se faz com o corpo, é possível mantê-la ativa e em plena forma.

Em conversa com a BBC News Mundo (o serviço em espanhol da BBC), Restak ofereceu conselhos fundamentais para treinar e fortalecer nossa memória.

1. Leia livros de ficção

Os livros de não ficção são uma grande fonte de conhecimento e informações, mas, para ativar a memória, os romances são muito mais úteis.

Anúncios

“Os livros de não ficção, como o último que escrevi, não exigem muito em termos de memória. Você pode ler o índice e concentrar-se naquilo que interessa, por exemplo”, afirma Restak.

“Mas a ficção é muito mais exigente do ponto de vista da memória, especialmente quando se trata de um romance complexo”, explica o professor. “Ali, os personagens aparecem e desaparecem. Você pode encontrar alguém no segundo capítulo que depois só irá aparecer no capítulo 10.”

Reter o fio da história, os vínculos entre os personagens e os detalhes da trama exige um esforço de memória maior, em comparação com os livros de não ficção.

Mulher lendo livro na cama
Legenda da foto,Romances são melhores para exercitar a memória que os livros de não ficção

2. Transforme as palavras em imagens

Este é um princípio básico. Restak sugere, por exemplo, que, se for apresentado a alguém com o sobrenome Greenstone – Pedraverde, em português – você deve visualizar na sua cabeça uma pedra de tom verde intenso.

Esta estratégia simples ajudará sua mente a se lembrar daquele sobrenome sem problemas.

“Se você não fizer isso e ficar só com as palavras, pode acontecer de você depois não se lembrar se é Pedrazul ou Pedrapreta, por exemplo”, explica ele.

Anúncios

Outro truque usado pelo especialista é criar um mapa mental de lugares com os quais esteja muito familiarizado, como seu bairro, para relacioná-los a coisas de que quer se lembrar.

Se o objetivo, em algum momento, for se lembrar de comprar leite e pão, Restak relaciona as palavras com dois lugares do seu mapa para compor imagens dramáticas, difíceis de esquecer.

“Imagino minha casa virada de lado, com leite brotando da chaminé (como se fosse uma caixa de leite) e esparramando pela rua”, descreve ele. “E, quando passo pela biblioteca e olho pela janela, imagino que as estantes estão cheias de fatias de pão no lugar dos livros.”

3. Faça jogos mentais com seus amigos (e quando estiver sozinho)

Um dos jogos favoritos de Restak para as festas ou reuniões familiares, que é um excelente exercício para a memória, é o chamado jogo das “20 perguntas”.

O jogo consiste em um jogador (ou equipe) pensar em uma pessoa, coisa ou lugar, enquanto o outro jogador (ou equipe) deve adivinhar do que ou de quem se trata, fazendo até 20 perguntas que só podem ser respondidas com “sim” ou “não”.

Anúncios

A dificuldade do jogo reside no fato de que os dois lados precisam se recordar tanto das perguntas como das respostas, para não dar pistas falsas, não repetir perguntas e chegar, por eliminação, à resposta correta.

Se você estiver sozinho e for amante do esporte, por exemplo, tente relembrar todos os jogadores da sua equipe favorita. Quando eles estiverem na sua mente, passe a colocá-los em ordem alfabética e enumere a lista de jogadores nessa ordem.

4. Use a tecnologia (de forma inteligente)

Homem no corredor de supermercado com celular na mão
Legenda da foto,Na próxima vez que você for ao supermercado, tente se lembrar dos produtos que precisa comprar antes de conferir a lista de compras

Levar no celular uma lista dos produtos que queremos comprar no supermercado ou uma foto de algo que nunca compramos, mas queremos experimentar, não é necessariamente uma má ideia.

O uso de celulares e aparelhos similares faz com que nossa memória se debilite, mas podemos usar a tecnologia a nosso favor.

Quando você for ao supermercado, por exemplo, Restak recomenda tentar primeiro se lembrar do que foi comprar e só depois consultar a lista, para evitar esquecer alguma coisa.

O mesmo acontece com os produtos novos: tente lembrar como eles são e, depois que conseguir, confirme com a foto para ver se está certo.

Anúncios

A ideia, segundo o professor, é “não substituir a memória pelo aparelho, mas usar primeiro o cérebro e depois verificar seu desempenho”.

5. Faça a ‘siesta’

Em alguns países, a siesta não tem muito boa fama, mas diversos estudos demonstraram que fazer uma siesta rápida é fundamental para ajudar a memória. Restak faz a siesta todos os dias e afirma que ela ajuda a absorver informações, consolidá-las e codificar a memória, para depois ter acesso a ela.

“De fato, quando tomamos dois grupos de estudantes e permitimos que um deles faça uma siesta depois de aprender algo e o outro não, observamos que o grupo que dormiu um pouco aprendeu muito melhor”, afirma Restak.

A recomendação do professor é dormir de 20 a 40 minutos. “Se passar da hora, você irá interferir com o sono noturno. Por isso, ligue o alarme ou peça a alguém que o acorde.”

6. Melhore a alimentação

Mais do que alimentos específicos, Restak afirma que o principal é evitar certos alimentos, como os ultraprocessados – os que contêm excesso de gorduras, sais, conservantes etc.

Anúncios

“Esses alimentos não são bons para a memória porque, a longo prazo, reduzem a circulação sanguínea nas regiões relacionadas à memória e causam hipertensão e diabetes”, explica ele. “São fatores que podem causar demência.”

Fonte

A Boa do Dia

Menina corajosa, de 6 anos, corre para casa em chamas para salvar sua mãe e seus irmãos adormecidos.

Publicado

em

Uma corajosa estudante foi elogiada por seu raciocínio rápido depois de entrar correndo na casa de sua família em chamas para salvar sua mãe e irmãos adormecidos.

Olivia Patterson, de seis anos, estava brincando ao ar livre com uma amiga quando percebeu que sua casa geminada em Riccall, North Yorkshire, estava em chamas.

Coragem

Ela correu para dentro da propriedade onde encontrou sua mãe Laura, 29, dormindo no sofá junto com seus irmãos Joel-James, um, e Tiffany, dois. Graças às ações de Olivia, os três foram acordados e conseguiram escapar ilesos do incêndio .

A avó de Olivia, Sadie Gelder, 54, expressou imenso orgulho pela jovem ‘incrível’ por resgatar sua família do incêndio. “Estamos absolutamente orgulhosos dela. Ela tem TDAH, então tem sido absolutamente incrível. Não podemos acreditar que Olivia libertou Laura – ela tem seis anos e correu em um prédio em chamas”, disse ela.

O incêndio começou na casa do vizinho de Laura no dia 4 de abril e rapidamente se espalhou pelo andar de cima de sua propriedade de três quartos. Uma investigação sobre a causa do incêndio está em andamento, mas suspeita-se que a culpa possa ser de um carregador de telefone.

Fonte

Anúncios
Continue lendo

A Boa do Dia

Pague o quanto puder: restaurante faz sucesso pela forma que cobra a comida!

Publicado

em


O restaurante de Gloucestershire
, na Inglaterra, está repensando as relações com clientes, fornecedores e toda a economia alimentar para alimentar um ambicioso modelo de “pague conforme puder” que alimenta todos os que chegam, independentemente da capacidade de pagar.

Os números surpreendem

No ano passado, a Mesa Longa alimentou cerca de 20 000 pessoas a preços abaixo do custo – muitas delas gratuitamente, sem perguntas – ao mesmo tempo que resgatou 3,4 toneladas de alimentos destinados ao lixo e pagou aos fornecedores locais preços justos pelo resto.

Nenhum trabalho no restaurante é feito por voluntários. O dinheiro foi suficiente para empregar 22 funcionários a tempo parcial e a tempo inteiro com pelo menos o salário real de subsistência.

Nossa prioridade

“Somos, na nossa forma mais simples, um restaurante”, diz Will North, gerente geral do The Long Table. “Mas na verdade o que somos é um restaurante incrível onde priorizamos ser um empregador com salários dignos reais. Além disso, nós priorizamos os tipos de fornecedores que não apenas priorizam o planeta, mas também as pessoas.

Fonte

Anúncios
Continue lendo

A Boa do Dia

Bebê encontrada em cima de árvore em Gaza é adotada por pediatra e está linda.

Publicado

em

Com alguns dias de vida e desesperadamente magra, a bebê Malak, foi encontrada em uma árvore, depois que sua casa foi destruída.

A pequena foi levada ao Hospital dos Emirados, na cidade de Rafah , no extremo sul de Gaza . Sua família foi dada como morta, então os médicos a chamaram de “Desconhecida”.  

Acesse nosso canal no YouTube

Novo destino

Hoje, a gordinha de 6 meses é a estrela das enfermarias onde sua tutora de fato, Amal Abu Khatleh, 32 anos, trabalha como pediatra. Enquanto Abu Khatleh carrega Malak, que significa anjo em árabe, pelas instalações. Enquanto caminha ganha beijos e abraços dos membros da equipe.

Um verdadeiro Milagre

Pouco depois de ela ter sido levada ao Hospital Al-Shifa , no norte de Gaza, para tratamento, o Dr. Nasser Bolbol, chefe da unidade neonatal, disse à NBC News que, com base no cordão umbilical, ele acreditava que Malak tinha apenas 2 dias de vida. 

Anúncios

Bolbol acrescentou que ele e seus colegas pensaram que ela havia sido capturada por um anjo, o que inspirou seu nome. “Quando vejo esse bebê sem familiares, fico muito triste. Muito triste”, disse ele, parado ao lado da incubadora.  

O caso tocou muito toda a equipe do hospital e foi Amal Abu Khatleh, de 32 anos, a responsável por dar uma segunda chance para a bebê. A pediatra desenvolveu um vínculo com a criança ao longo do tratamento. “Quando contei aos meus pais, eles ficaram muito entusiasmados com a ideia e disseram que não havia problema”, contou a médica.

Fonte

Continue lendo

Destaques