Conecte-se conosco

A Boa do Dia

Menino com Down usa fitas no rosto em tratamento e colegas de sala surpreendem ao fazer o mesmo

Publicado

em

Alunos colam fitas no rosto para apoiar colega

Muitas vezes, as crianças podem não entender o que acontece ao seu redor como nós, adultos. Mas, com certeza elas possuem uma percepção única das coisas. E é de pequeno que se aprende sobre respeito ao próximo, compaixão e solidariedade, por exemplo. São qualidades que devemos levar pela vida toda e espalhar pelo mundo sempre que possível!

Os alunos do 2º ano do ensino fundamental de uma escola em Brasília, mostraram justamente isso. Um aluno da turma chamado Miguel Gadelha tem Síndrome de Down e precisa usar fitas coladas no rosto para um tratamento que envolve exercitar a musculatura da boca. O objetivo é ajudar o menino, que tem dificuldades na fala e melhorar sua mastigação.

Alunos colam fitas no rosto para apoiar colega

Atitude encantadora:

Em solidariedade ao coleguinha, os pequenos decidiram fazer igual. Isso mesmo, duas vezes na semana eles também usam fitas no rosto. Tudo isso para ele se sentir aceito e parte do grupo. O mais incrível é que a ideia partiu dos próprios alunos, como conta a coordenadora pedagógica da escola, Consuelo Carvalho:

“Quando o Miguel chegou pela primeira vez com a fita perguntaram o que era. Quando explicamos, eles perguntaram ‘a gente pode usar também? Ele se sente menos diferente, mais incluído, mais aceito.” É como um ritual: todas as terças e quintas, dias das sessões de fonoaudiologia de Miguel, a professora responsável pela turma, Cynthia Rosal, coloca as fitas em todos os alunos. As de Miguel são colocadas por sua fonoaudióloga.

Alunos colam fitas no rosto para apoiar colega

O apoio dos coleguinhas é essencial para ajudar no desenvolvimento do menino, que ainda não sabe consegue ler e escrever. Por isso, o foco é dar suporte nesse avanço.

Anúncios
Cena emocionante:

O pai de Miguel, Leandro Gadelha, ficou tocado ao ver o que fizeram pelo filho:  “Eu fui tomado de uma emoção muito grande porque eu percebi a inclusão acontecendo de fato”, conta. Ele ainda fala do trabalho intenso em busca da independência do menino, adotado aos 11 meses de idade. Leandro relembra, em relato ao G1, o processo de adoção e a chegada de Miguel, além das dificuldades, principalmente no desenvolvimento, que ele enfrentou.

Alunos colam fitas no rosto para apoiar colega

Com muita dedicação da família, em busca de médicos especialistas que pudessem ajudar, os avanços foram aparecendo. Por isso, anos depois, ao ver o filho sendo aceito e rodeado de crianças que o adoram, Leandro não podia deixar de se emocionar.

Aos 10 anos, Miguel já apresenta autonomia e consegue fazer diversas atividades sozinho: “Existe o ideal, o possível e o que de fato acontece. A gente tem que incentivar, dar as terapias que ele precisa, mas respeitar o tempo dele.”, diz o pai. Que a atitude tão bonita e pura dessas crianças possa tocar pessoas que ainda têm preconceito pela Síndrome e incentivar a compaixão no outro.

Foto: Reprodução/ Ana Luiza de Carvalho/ G1/ Facebook

Fonte: G1

Anúncios

A Boa do Dia

Menino de 4 anos fica 19 horas com coração sem bater e sobrevive: “Foi Deus”

Publicado

em

Um verdadeiro milagre! Cartier McDaniel, um menino de apenas quatro anos, sobreviveu após ficar 19 horas com o coração sem bater. O pequeno ficou doente, mas o que parecia ser um resfriado comum se transformou em uma infecção grave.

Ele teve uma parada cardíaca. Os médicos o colocaram em aparelhos de suporte vital e tentaram de tudo para trazê-lo de volta, mas as perspectivas não eram boas.

A família até se reuniu no hospital para se despedir. De repente, o coração voltou! Nem os médicos conseguiram explicar o que aconteceu, mas para a mãe de Cartier, Destiny Anderson, não há dúvidas: “foi Deus”.

Fonte

Continue lendo

A Boa do Dia

Hamburguerias do DF se unem para ajudar vítimas das enchentes no RS

Publicado

em

Mais de 40 hamburguerias do Distrito Federal (DF) se uniram em prol de uma “hamburgada solidária” para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul (RS). Bacon, pão, queijo e solidariedade!

Evento

O evento será realizado neste sábado (11), a partir das 11h, no estacionamento do Atacadão Dia a Dia, no Sia. Estabelecimentos como Geléia Burger, Dog No Molho e Kombinado Burger, venderão delícias no valor promocional de R$ 20.

Todos os valores arrecadados serão revertidos para auxiliar as comunidades atingidas no Sul e a meta é vender mais de 10 mil sanduíches para arrecadar R$ 200 mil reais. Alô galera do DF, bora comer um lanche solidário?

Fonte

Continue lendo

A Boa do Dia

Chuva dá trégua e Brasil se une em solidariedade ao Rio Grande do Sul

Publicado

em

Nesta segunda-feira (6), a previsão do tempo indica uma trégua no estado, com sol entre nuvens na região afetada pelas chuvas no rio Grande do Sul. A maior parte do RS deve ter uma “janela de bom tempo” até terça-feira (7), com exceção do extremo Sul, onde está prevista a chegada de uma frente fria. As chuvas devem retornar ao RS na próxima quarta-feira (8).

Pessoas de todo país estão prestando solidariedade em prol das vítimas afetadas. Empresários, artistas, pessoas anônimas, autoridades civis e Igrejas, todos unidos para resgatar e apoiar os desabrigados.

Como ajudar?

Defesa Civil do Estado

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Rio Grande do Sul lançou um formulário para voluntários que desejam atuar em tarefas de organização, seleção e triagem das doações de ajuda humanitária. Instituições, empresas e/ou grupos interessados também podem preencher o cadastro no link: https://casamilitar-rs.com.br/voluntariado/.

Secretaria Estadual da Saúde (SES)

Anúncios

A SES está cadastrando profissionais de saúde para comporem um banco de voluntários. Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, entre outros, poderão ser chamados em hospitais, unidades de pronto atendimento e nos demais serviços de saúde. A inscrição não garante o chamamento do profissional, da mesma forma que não gera vínculo empregatício com o Estado. Cadastro em saude.rs.gov.br/cadastro-de-profissionais

Prefeitura de Porto Alegre

Após receber o cadastro de cerca de 15 mil voluntários, a prefeitura de Porto Alegre encerrou as inscrições na manhã de domingo (5). Quem se candidatou será acionado conforme a demanda. 

Doações em dinheiro via Pix ou transferência bancária

Pix para o governo do Rio Grande do Sul

Cuidado com as campanhas falsas de PIX nas redes sociais copiando a identidade visual do governo do Estado do RS. O perfil oficial do governo do Estado é o @governo_rs.

Anúncios

O governo do Estado reativou o canal de doações para a conta SOS Rio Grande do Sul. Foi restabelecida a chave Pix utilizada no ano passado. Os recursos serão revertidos para o apoio humanitário às vítimas das enchentes e para a reconstrução da infraestrutura das cidades. 

  • A chave é CNPJ: 92958800000138
  • Quando realizar a operação, confirme que o nome da conta que aparece é “SOS Rio Grande do Sul” e que o banco é o Banrisul

Pix para a prefeitura de Porto Alegre

A prefeitura de Porto Alegre criou um Pix para arrecadar fundos para amenizar os danos e o sofrimento dos moradores da Capital. Qualquer quantia é aceita, independentemente do valor. 

  • A chave é CNPJ: 92963560000160

Associação do Ministério Público do RS

A Associação do Ministério Público do Rio Grande do Sul (AMP/RS) retomou a campanha “S.O.S Chuvas” para ajudar as regiões atingidas pelas enchentes. As doações via Pix serão revertidas para compra de mantimentos.

  • Chave Pix: 87027595000157 (CNPJ)

Comunitas

A organização criou um fundo de apoio à reconstrução do Rio Grande do Sul após a forte chuva que atingiu o Estado. O “Reconstrua RS” será modelado por meio de uma gestão compartilhada, comitês de atuação e execução privada e com ações prioritárias, entre elas a reorganização das escolas para o retorno das aulas.

  • Doações para ações de reestruturação: CNPJ 03983242000130
    Banco do Brasil – 001
    Agência 1195-9
    Conta Corrente 600.650-7
  • Doações para ações emergenciais: Pix – 92958800000138 (CNPJ)
  • Para mais informações, contato pode ser feito via reestruturars@comunitas.org.br

Campanha solidária da Ajuris

A Ajuris criou uma conta bancária exclusiva para receber doações. Todo o valor arrecadado será utilizado na aquisição de materiais, alimentos e roupas, de acordo com as necessidades apontadas pelas autoridades que gerenciam as crises nos municípios. As doações podem ser feitas pela chave pix (aleatória): de54af32-c5c3-48fe-b2ae-378b2559648e.

Anúncios

Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul)

A Federasul, juntamente com suas 194 entidades afiliadas, lançou a Campanha Solidária para arrecadar fundos e realizar a compra de itens fundamentais para as famílias. As doações podem ser feitas por Pix: sosrs@federasul.com.br ou por meio de depósito em conta da Federasul aberta exclusivamente para a campanha no Sicredi nº 0116 01229-5.

Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs)

Para contribuir com doações para os bancos sociais da Fiergs é possível enviar via PIX: financeiro@bancossociais.org.br.

Sicredi

Anúncios

O Sicredi, instituição financeira cooperativa presente em todo o país, está promovendo uma campanha de doações para apoiar a população afetada e em zona de risco. A mobilização visa arrecadar recursos para auxiliar as regiões impactadas. As doações recebidas por meio de chave pix serão destinadas à compra de recursos e mantimentos, que serão distribuídos à população dos municípios atingidos.

  • Para contribuir, os interessados podem enviar suas doações voluntárias para a chave pix ajuders@sicredi.com.br, conferindo o nome favorecido como Fundação Sicredi

Rede de Bancos de Alimentos do RS e Bancos Sociais 

Para ajudar, não é preciso sair de casa. Basta contribuir via pix, depósito bancário ou via site oficial Doe Alimentos, da Rede de Bancos de Alimentos do RS.

  • Site: www.doealimentos.com.br
  • PIX: CNPJ – 04.580.781/0001-91
  • Conta corrente: Banco Santander
  • Agência: 1001
  • Conta: 13.000.284-4

Fonte

www.bestofweb.com.br

Continue lendo

Destaques