Conecte-se conosco

Uncategorized

Ilusionista usa mágica para doar comida a moradores de rua

Publicado

em

O truque é simples: o mágico mostra um pote em chamas e depois o fecha, pedindo que alguém da plateia o assopre. Quando o pote se abre novamente, o fogo sumiu e, em seu lugar, há um lanche e um copo de café.

Esta é a mágica que Andrey Marake faz todo domingo de manhã pelas ruas em Curitiba, sua plateia é sempre formada por moradores de rua, que recebem a singela doação com alegria e emoção.

A “Mágica da Solidariedade” começou no fim de 2016, quando o ilusionista Lucas Andrey Barabach Nogueira, percebeu a quantidade de pessoas que, infelizmente, vivem em condições precárias nas ruas da capital paranaense.

“Em Curitiba, quando me mudei, fiquei muito surpreso com a quantidade de pessoas nessa situação, passando frio e fome; tem gente praticamente em toda esquina”, explica em entrevista ao G1.

Junto de seu amigo e assistente, Joilson Guilherme da Silva, ele prepara cerca de 10 lanches de presunto e queijo e uma garrafa térmica de café e vai às ruas realizar seu pequeno truque e trazer um pouco de conforto às pessoas.

Anúncios

“Muita gente apenas critica, acha que a gente está na situação porque quer. Ainda bem que tem pessoas como eles, de coração bom”, diz Simone Regina Oliveira dos Santos, que vive na rua desde os 14 anos.

“A gente não é bandido. Eu tive que chegar ao fundo do poço para saber o que é realmente sofrimento. Só passando pela situação para saber. Machuca muito. Não dá vontade de acordar. Cria uma revolta, a gente chega a pensar que não vale a pena viver”, conta Jorge Aníbal Pasaglia, que vive na rua há dois anos e se disse emocionado ao participar do truque de mágica.

Andrey pratica ilusionismo desde os 12 anos, quando uma professora destacou seu talento para as artes. Desde então, o jovem de 19 anos aprende truques na TV e na internet e realiza shows em diversas cidades paranaenses, isso sem deixar de ajudar aqueles que necessitam. Ele conta que já ajudou cerca de 60 pessoas e seu projeto teve repercussão positiva quando um vídeo postado no Facebook alcançou um milhão de visualizações.

Para ele, fazer o número de mágica nunca é repetitivo e sempre é emocionante. Segundo ele, certa vez foi impossível se conter e ele abraçou um dos moradores de rua. “Um senhor me perguntou porque a gente tava fazendo isso. Disse que as pessoas não olham pra ele, que ele só é ignorado. Fiquei emocionado e pedi para abraçá-lo”, finaliza.

Anúncios

Fotos: Giuliano Gomes/Agência PR PRESS

Ana Oliveira

Curiosidades

Bebê de 4 meses é encontrado dormindo depois de ser arrastado por um tornado.

Publicado

em

Um Bebê de quatro meses foi arrastado para cima de uma árvore, depois que um tornado destruiu a casa onde morava com sua mãe.

O berço que estava o filho de Sydney Moore, foi levado até o funil do tornado. Ela pensou, que nunca mais o veria.

Sem tempo para derramar uma lágrima, ela se jogou em cima do outro filho de 1 ano no momento em que as paredes desabaram sobre os dois.

Seu carro foi destruído e sua casa móvel também.

Sobrevivendo

Sobrevivendo ao desabamento da casa, ela procurou desesperadamente pelo menino de 4 meses junto com o namorado, que havia sido arremessado pela força do funil que quebrou seu braço e ombro.

Anúncios

Em declaração  ao WSMV, Moore disse: “achei que ele estava morto e que nunca mais o veria.”

Mas um milagre aconteceu

Seu bebê estava ileso apenas por um corte, dormindo nos galhos de uma árvore caída. A irmã de Moore afirmou que parecia que o pequeno Lord, tinha sido colocado ali, como se um anjo o tivesse guiado através da tempestade.

Fonte

Continue lendo

Família

Formatura dos gêmeos prematuros de 22 semanas que tinham apenas 10% de chance.

Publicado

em

Uma adorável ‘formatura’ foi realizada para um par de gêmeos nascidos com apenas 22 semanas que venceram as adversidades – e finalmente foram autorizados a voltar para casa.

Os bebês Kimyah e DJ tiveram apenas 10% de chance de sobrevivência quando vieram ao mundo.

Os irmãos eram os menores bebês que algumas enfermeiras de Ohio já viram, pois cabiam nas mãos da mãe.

Mas, milagrosamente, eles resistiram e tiveram alta da Clínica Cleveland, em Ohio, após cerca de quatro meses na terapia intensiva.

A equipe realizou uma ‘formatura’ para a família celebrar o momento especial – com os irmãos de 11 meses recebendo bonés e vestidos para marcar a ocasião.

Anúncios

“Fiquei super animada quando descobri que eles poderiam voltar para casa”, disse a mãe Kimberly Thomas.

A enfermeira Becky Stuart disse que foi “uma grande celebração.

“Durante o tempo que passaram na UTIN, tratei-os como se fossem meus próprios filhos. Eu os amo e formei um vínculo com eles que ficará comigo para sempre.”

A mãe de 25 anos de Bedford, Ohio, diz que soube que algo estava errado quando começou a vazar líquido amniótico, que protege o feto durante a gravidez. Ela ligou para o médico, que descobriu que ela já estava em trabalho de parto e com quatro centímetros de dilatação.

Com pouco mais de cinco meses de gravidez, Kimberly foi informada de que seus gêmeos teriam poucas chances de sobrevivência – cerca de 10%.

Anúncios
Gêmeos em crescimento com a mãe Kimberly Thomas – Cleveland Clinic / SWNS

Na palma da mão

Assim que os gêmeos nasceram, eles foram imediatamente ressuscitados e intubados. As enfermeiras dizem que conseguiam colocar cada gêmeo na palma das mãos – e as fraldas de menor tamanho ainda eram grandes demais para eles.

“Esses foram os menores bebês que eu já vi, e muito menos dos quais cuidei”, disse a enfermeira Sara Perrin.

Seus pais não tiveram permissão para segurar seus bebês durante o primeiro mês de vida porque a pele deles era muito frágil para ser tocada. Mas ela passou todos os dias e noites com eles na unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) até receberem alta.

“Acho que não houve um dia em que não passei pelo menos alguns minutos com eles, só para conversar com meus bebês”, disse a mãe. “Eu praticamente morei na UTIN por quatro meses e meio.”

Continue lendo

Super Humanos

Motorista é flagrado por câmera praticando gesto de amor com morador de rua.

Publicado

em

 E um motorista fez exatamente isso ao aquecer um homem em situação de rua numa madruga fria no Paraná.

Com temperaturas que chegam a 9º graus Centígrados nesta época, o motorista estacionou a caminhonete, pegou uma coberta e colocou sobre a pessoa desconhecida. Sem falar muito, o motorista deixou o homem surpreso e o perplexo com a boa ação.

O flagrante foi registrado pelas câmeras de um comércio da região Central de Araucária, na região metropolitana de Curitiba (PR). Os nomes dos dois não foram revelados.

Fonte

Continue lendo

Destaques