Urso polar morre em zoológico sem nunca ter conhecido a neve pessoalmente


PUBLICIDADE

O urso polar Arturo tinha 31 anos e chegou ao zoológico de Mendoza, na Argentina, aos 8 anos. Segundo jornais locais, ele estava debilitado e sofria com perda de apetite, peso, visão e olfato.

Com todos esses problemas, ele acabou não resistindo e morreu devido a um desequilíbrio hemodinâmico – bem parecido com uma parada cardíaca – que se desenvolveu pelas condições fisiológicas em que vivia, ou seja, fora de seu habitat natural.

PUBLICIDADE

Ele já foi personagem de uma reportagem onde o chamaram de “o animal mais triste do mundo” e isso ganhou notoriedade por todo o mundo. Uma campanha da ONG Greenpeace recebeu mais de 160 mil assinaturas para que o animal saísse do zoo, mas pelo visto, nada foi feito.

Alguns relatórios mostraram que o animal enfrentava um calor de até 40 graus no zoológico e vivia em uma situação degradante.

O Greenpeace divulgou uma nota lamentando a morte do animal: “Esperamos que esse seja o último urso polar preso num jardim zoológico. Esse não é o único animal em cativeiro e em mau estado, mas apenas mais um exemplo de como funcionam a maioria dos zoológicos de nosso país, priorizando a exposição para fins comerciais e de recreação em vez do bem-estar e da conservação e animal”, disse Soledad Sede.

Na imagem abaixo você pode conhecer Arturo ainda vivo:

  1. Fotos: Reprodução

É uma triste realidade que está aberta a todos os olhos que querem ver. Esperamos que os animais possam viver felizes em seus habitats naturais para não precisar passar por sofrimentos como do urso Arturo.

POSTS PATROCINADOS