PUBLICIDADE

Infelizmente, são muitos os professores que não são reconhecidos da forma que merecem. Seu papel na vida de uma criança não é só educar ou ensinar uma matéria ou um conteúdo, é compartilhar suas experiências, suas emoções, seu lado humano. A formação do aprendizado é envolta pela construção do caráter.

Dentre belas e profundas histórias envolvendo educadores, destaca-se a da professora Jeanne Thompson, que atua em uma escola primária de uma comunidade nos Estados Unidos.

Logo nos primeiros dias de aula, o comportamento de um aluno chamou a atenção de Jeanne. Seu nome era Teddy Stoddard e ele sempre era visto quieto, sozinho, totalmente isolado. Conforme ela passava atividades ou exercícios de avaliação, ele sempre ia mal. Apesar de não parecer mau aluno, ele não conseguia (ou não queria) render e isso partia o coração da professora.

A escola guardava arquivos a respeito dos alunos, registrando notas e comentários prestados por professores anteriores. Ao consultar o registro de Teddy, Jeanne percebeu que ele, a princípio, sempre foi um excelente e prestativo aluno, mas conforme os anos se passavam, suas avaliações começaram a ficar diferentes.

  1. Foto: Reprodução

Ela tentava entender a fonte do problema, até que se deparou com isso: "Teddy é um ótimo aluno. É apreciado pelos seus colegas, mas a doença da mãe afetou-o profundamente. A sua vida deve ser difícil em casa". E na sequência, veio essa mensagem: "Teddy continua a trabalhar duro, e apesar da morte da mãe, que tornou as coisas muito difíceis hoje em dia, ele sempre faz o seu melhor. Infelizmente, o pai não parece muito interessado em Teddy, e temo que a sua situação familiar pode em breve ter um efeito negativo sobre ele, se não forem tomadas medidas rapidamente". Isso explicava porque o menino era tão distante.

A situação de Teddy se arrastou até o último mês letivo. Como podia e sem tocar diretamente no assunto, Jeanne tentava ajudá-lo. E foi próximo às festividades do Natal que o garoto a surpreendeu de forma que ela jamais imaginaria.

Teddy resolveu dar um presente para Jeanne. Simples e mal embrulhado, o pacote não se destacava por sua beleza, mas por seu simbolismo. Enquanto as crianças davam risada, Jeanne abria o embrulho que guardava um perfume e uma pulseira de plástico. E quando ela colocou o perfume sobre seu pulso e fechou os olhos para sentir a fragrância, a voz de Teddy ecoou em seus ouvidos e em sua alma: "Agora você cheira como a minha mãe". Jeanne desabou em lágrimas.

  1. Foto: Spirit / Reprodução

O vínculo entre os dois fez crescer um sentimento de amizade. Teddy depositava nela uma confiança que ele não tinha em nenhuma outra pessoa. E conforme o tempo passou e o garoto soube como lidar melhor com o seu problema, houve um distanciamento entre os dois. É como se Jeanne tivesse uma missão para cumprir e nada mais. Bom, de fato, a missão estava cumprida. Seu papel na vida de Teddy foi imenso.

Mas, alguns anos depois, uma nova surpresa. Jeanne recebeu uma carta de Teddy: ele a convidava para seu casamento. E ele não gostaria que ela fosse como professora ou como amiga, mas como parte de sua família. E encarecidamente, ele desejou que ela fosse com a pulseira e com o perfume que ganhou naquele dia próximo ao Natal. Logicamente, ela aceitou. Agora, Jeanne estaria diante de um novo Teddy.

Viu o quanto um pouco de amor pode mudar o destino de uma criança?

PUBLICIDADE