Segundos antes de nascer, bebê agarra a mão do médico. E bastaram 3 palavras para ele vir ao mundo


PUBLICIDADE

Quando um obstetra poderia imaginar que um entre tantos partos seria simplesmente inesquecível?

Pois é. Foi exatamente assim que o médico ginecologista e também obstetra Rodolpho Mello Netto que já realizou mais de 5 mil partos durante toda sua vida. Porém, o que mais o emocionou foi o de Miguel, no Hospital de Caridade de Santa Maria.

PUBLICIDADE

”Eu estava pronto para abrir a bolsa (que é uma camada transparente) e vi a mãozinha dele como se estivesse sinalizando para mim. Assim que eu perfurei a cavidade, ele foi colocando a mãozinha para fora e segurou na minha mão. Não foi reflexo, foi carinho. Eu fiquei conversando com ele por um tempo e disse “Oi, Miguel. Seja bem-vindo”.

O pai dele estava do meu lado e conseguiu, entre a razão e a emoção, pegar a câmera e tirar a foto. Depois, eu disse para o bebê “agora vamos nascer?” e ele, delicadamente, retirou a mão, como se estivesse me respondendo. Toda a equipe parou, encantada, para assistir ao momento”, revelou o médico.

Para falar a verdade, já aconteceu de recém-nascidos agarrarem as mãos de médicos antes, porém isso geralmente é um simples reflexo. Mas este não foi o caso de Miguel, repleto de delicadeza, afeto e carinho.

”Todo o nascimento é importante para um obstetra. Eu sempre tento ofertar um ambiente de maior conforto e carinho possível, é a transição da criança da barriga da mãe para o mundo. É preciso oferecer segurança e acolhimento”, disse.

O pai de Miguel, William Ribeiro Muller e a mãe, Alexandra Coelho Campos, não poderiam estar mais felizes com a chegada dele e ficaram simplesmente emocionados com a cena. ”Eu estava ali, louco para ver o bebê. Quando isso aconteceu eu fiquei me dividindo entre bater foto e ver o meu filho. A gente se emociona tanto com esse momento”, revelou ele.

A publicação rapidamente viralizou, mais de mil curtidas em menos de 24 horas. ”É uma emoção que precisa ser compartilhada mesmo. É algo fantástico, inspirador. É um bebê, recém-nascido, demonstrando carinho e afeto, uma lição para todo mundo. Medicina não é apenas ciência, também é sentimento, é arte. Quando nasce um bebê, também nasce um pai, uma mãe, nascem avós”, disse Rodolpho.

O que você achou da cena? Tocante, não?!

Fotos: William Ribeiro Muller / Arquivo Pessoal.

POSTS PATROCINADOS

Beatriz Ponzio

Jornalista, introspectiva, criativa, sensível, sonhadora, apaixonada por dança e pela vida.