Risco de desenvolver demência é 60% menor em casais, diz estudo


Casais têm menos risco de desenvolver demência
PUBLICIDADE

Quem anda fugindo do casamento ou de um relacionamento sério vai ter uma boa razão para começar a rever o seus conceitos. De acordo com estudo conduzido por cientistas da Universidade de Loughborough, na Inglaterra, estar em uma relação diminui em até 60% o risco de desenvolver demência na velhice.

Segundo os pesquisadores, ter uma pessoa ao lado é estimulante para que hábitos mais saudáveis sejam tomados, o que contribui para que diversas doenças não se manifestem.

PUBLICIDADE

O estudo foi realizado com 6.677 participantes, o que envolvia casais e pessoas solteiras. Durante os seis anos de pesquisa, foi identificado que os solteiros têm maior propensão a desenvolver problemas como a depressão, doenças cardíacas e a demência. Os resultados foram publicados nos “Journals of Gerontoly”.

“Os homens, que são mais propensos a problemas cardíacos e à depressão, quando casados têm estilos de cida mais saudáveis. Melhores dietas, menos tabagismo, menos álcool e mais visitas a hospitais para exames de rotina”, conta o professor Eef Hogervorst. O responsável pelo estudo afirma também que a solidão pode ser verdadeiramente perigosa. E sua associação com graves problemas de saúde não pode ser ignorada.

Os perigos da solidão

As novas descobertas respaldam uma série de estudos anteriormente conduzidos a respeito da solidão estar associada à demência. Um estudo divulgado em novembro do ano passado explica que portadores da Doença de Alzheimer, na maioria dos casos, viveram um cenário de isolamento.

A solidão vem sendo constantemente ligada a casos de doenças cardíacas, obesidade e até mesmo câncertão nociva quanto fumar 15 cigarros por dia. E vale a lembrança de que cientistas da Universidade de Brigham Young, em Utah, Estados Unidos, a consideram .

Fonte: Daily Mail

POSTS PATROCINADOS