Projeto chamado “40 dias pela vida” salva do aborto cerca de 13 mil bebês


PUBLICIDADE

Você já deve ter ouvi muito sobre aborto nos últimos anos. O assunto está em pauta todo ano e rende muitos debates em torno deste assunto. Mas será que é possível impedir mulheres que querem abortar?

Para o projeto “40 dias pela vida” sim. Os voluntários, que são católicos e evangélicos, fazem uma vigília na frente de clínicas para evitar o aborto. O programa começou há 10 anos e nesse período salvaram cerca de 13 mil bebês.

PUBLICIDADE

Só neste ano, o grupo percorreu 341 cidades em 30 países diferentes, um recorde. O presidente da “40 Days for Life”, Shawn Carney, revelou para que costumam fazer duas campanhas durante o ano e que a deste ano foi especial porque coincidiu com o período da Quaresma: “Ficamos 40 dias em oração e jejum, fazendo uma vigília contínua em frente a clínicas onde são realizados aborto”, contou.

Desde 2007, os voluntários auxiliaram muitas grávidas a desistirem do abordo. Mas não são só elas, os religiosos ainda ajudaram muitos funcionários das clínicas de aborto, que abandonaram seus empregos durante a campanha. Só neste ano foram 13 pessoas que desistiram deste trabalho.

Desses casos, um muito conhecido é o de Abby Johnson. Ela trabalhava em uma dessas “casas”, mas hoje é uma grande ativista que defende a vida e condena o aborto nos Estados Unidos. O presidente do projeto Shawn Carney conta “Ela foi a 26 ª ex-funcionária de clínica de aborto que teve uma mudança completa de postura. Nós realmente já vimos corações e mentes sendo mudados.”

Esta decisão não é fácil, é preciso ter muita força para desistir de um aborto. A indústria ainda costuma processar muitos participantes do projeto, mas eles sabem que o trabalho deles é muito importante.

Fotos: Reprodução Internet

POSTS PATROCINADOS