Porchat chora ao reencontrar Jô em seu programa 16 anos depois que teve a vida mudada por ele


PUBLICIDADE
Fábio Porchat entrevista Jô Soares e se emociona a lembrar de momento de 16 anos atrás

Um momento muito emocionante tem sido anunciado desde o começo da semana pelo apresentador Fábio Porchat.

Na terça-feira, ele publicou em seu Instagram uma foto em que Jô Soares está sentado no sofá do seu programa, dizendo que ele seria o próximo entrevistado da atração. Muitas pessoas não sabem, mas Jô foi o padrinho de Porchat.

PUBLICIDADE

Em 2002, ele estava na platéia do “Programa do Jô” e arrumou um jeito de passar um bilhete para ele pedindo para se apresentar. O veterano é famoso por ser muito generoso com os novatos que aparecem pedindo uma oportunidade.

Fábio fez um stand-up imitando o Vani e o Ruy, interpretados por Fernanda Torres e Luis Fernando Guimarães, do extinto programa “Os Normais” da Tv Globo, e a platéia adorou.

Confira esse momento antigo:
16 anos depois

Esse é o principal motivo de Fábio ter começado seu programa tão emocionado. No monólogo inicial ele conta que esse não é só mais um simples programa, e sim o mais importante de sua vida. Isso tudo em meio a algumas lágrimas.

Para completar a emoção de Fábio Porchat, Jô diz no meio da entrevista que não perde o seu programa. Além de também acompanhar o “Papo de Segunda”, que ele participa no canal GNT.

Jô afirmou que não sente a falta de estar na TV e acha que já cumpriu o seu papel, entrevistando mais de 15 mil pessoas durante 29 anos de televisão.

Em relação a amizade com Silvio santos, Jô contou que é muito grato ao SBT, que deu a oportunidade para ele fazer o seu programa de entrevistas quando a Globo dizia que não havia espaço para ele na programação.

Quando eles viram que ele fez sucesso com aquilo no outro canal, quiseram ele de volta. Mas ele ainda ficou muitos anos à frente do programa no canal de Silvio Santos.

Fábio relembrou uma entrevista que fez com o falecido Chico Anísio, em que, na ocasião, perguntou para o comediante se era difícil fazer piadas com essa nova onda do politicamente incorreto. “Ele me respondeu: ‘Difícil era fazer comédia na ditadura, meu filho'”.

Essa foi a deixa para que Jô falasse de seu livro, em que ele lembra de vários momentos dificeis que ele passou durante os anos em que o país era comandado pelos militares da ditadura.

Jô Soares com certeza ficará marcado na história do Brasil por tudo o que já fez para a indústria do entretenimento. Salve o Jô.

POSTS PATROCINADOS