Pai dá festa de aniversário para o filho, mas mãe revela por que não deixou o menino ir


PUBLICIDADE
Pai reclama que mãe não deixou filho ir à festa preparada por ele, mas ela também dá o seu lado da história

Esta semana, uma publicação no Facebook rendeu mais de 40 mil compartilhamentos. Nela, um pai realizou uma festa de aniversário para o seu filho, no entanto, a criança não compareceu.

O homem, chamado Roberto Coutinho, afirma que a mãe do garotinho Miguel, da qual é separado, havia concordado com a comemoração, mas no momento marcado, disse que estava indisposta.

PUBLICIDADE

Com isso, ela não teria permitido que o pai buscasse o menino, que estava completando 5 anos. Muitas pessoas conheceram o lado do pai, mas a Revista Crescer procurou a mãe, Mara Gadelha, para revelar o motivo de não ter deixado seu filho ir à própria festa. Ela afirmou que foi casada com Roberto durante 9 anos. Sua gravidez, a qual nasceu Miguel, não foi planejada, agravando um esfriamento do relacionamento do casal. Isso acabou causando a separação dos dois quando o menino tinha apenas 14 dias de vida.

Roberto Coutinho e a atual companheira no aniversário sem Miguel
Falta do pai

Ainda assim, ela diz que tenta manter uma convivência pacífica com o ex-marido e sempre deixei muito claro o quanto gostaria que Roberto criasse um laço com o filho. “Chegou uma hora que o Miguel sequer reconhecia o pai pessoalmente. Não sei os motivos dele para não se fazer presente, mas para mim sempre soou como falta de amadurecimento”, disse a mãe à CRESCER. “Foi apenas um ano atrás que ele começou a demonstrar maior interesse pelo filho. Foi quando sentamos e acordamos que ele pegaria o Miguel a cada 15 dias e também traria alimentos para ele. E ele vinha, quando não tinha outro compromisso, porém, só trouxe os alimentos na primeira quinzena.”

E foi em fevereiro deste ano que o pai, a avó e a tia do pequeno Miguel mencionaram que gostariam de realizar a festinha de aniversário para o menino. De acordo com Mara, o desejo surgiu após o garotinho contar ao pai que ela e o marido dariam uma festa para ele com o tema de um time diferente do que o Roberto torce. Mesmo assim, a mãe aceitou no mesmo minuto a proposta do pai para uma nova festa.

“Foi nessa mesma época que chegou a lista de material escolar e o Roberto, novamente, não cumpriu nosso combinado de dividir os gastos. Depois de 4 anos relutando, falando para todo mundo que eu não iria lutar por meus direitos na Justiça, eu desisti. Fui vencida pelo cansaço e entrei com uma ação por pedido de alimentos”, disse Mara.

Ela ainda afirma que, no dia 11 de abril, recebeu uma ligação do Oficial de Justiça que informou que o Roberto já tinha sido intimado, mas ainda não tinha entregue o ofício ao RH da empresa [referente à pensão alimentícia] em que trabalha, algo que o juiz havia determinado provisoriamente.

Uma das fotos da festa sem Miguel
Visão da mãe

“Me pediram que eu ficasse responsável pela entrega. Como é que o pai queria fazer uma festa para o filho, mas não queria entregar um ofício ao seu emprego para ter um desconto de 20% do salário referente à pensão alimentícia?”, indaga a mãe. “Por que ele queria retardar esse direito do Miguel? Foi aí que eu comecei a perceber que a festa não era para o Miguel, a festa era para ele. Para ele mostrar para todo mundo que ele estava fazendo o papel de bom pai. Foi essa sensação que eu tive e que acabou se confirmando”.

Ainda de acordo com Mara à Crescer, na semana da festinha, Roberto a ligou dizendo que iria levar Miguel para comprar a roupa do evento e avisou que ela não ficaria com o garotinho. Ao invés disso, permaneceria com o homem. Para a mãe, isso foi uma confirmação de que aquilo tudo não era amor.

Chegando o dia

“Eu passei bastante mal na sexta-feira que antecedia a festa. Quando ele me ligou às 8h do sábado, eu falei que não estava me sentindo bem, que estava indisposta e que não queria brigar. Pedi que a gente adiasse a festa”, disse a mulher. “Não falei em cancelar. Ao que ele respondeu: ‘com ou sem Miguel, vai haver festa’. Foi aí que eu tomei minha decisão. Às 13h, o Roberto chegou na loja do meu marido e disse a ele que, sendo assim, não iria ver o Miguel até o dia da audiência, no dia 25 de maio. Mais uma vez, ele me deu comprovações de que não se importava em estar perto do filho”.

Exposição na internet

Por isso, a exposição do filho na internet, incomodou Mara. “Acabou que meu filhote não foi mesmo e ele o expôs para todo mundo, o que gerou isso aí que está acontecendo”, disse. “Se você perguntar para o meu filho se ele está triste, ele vai falar que não, porque ele foi para o shopping e se divertiu [no mesmo dia da festa]. Se eu me arrependo? Não, porque o dia a dia que eu passo com meu filho me mostra a criança feliz que ele é”.

Mara tem certeza do ser humano bom que está criando. Ela ainda afirma que depois do acontecido, Roberto ainda não procurou nem o filho e nem ninguém da família. A mãe deixa claro que nunca proibiria o pai de ver o filho. “O que eu proibi foi o Miguel de comparecer a uma festa que não era para ele.”

No final da reportagem da Revista Crescer, Mara solicitou que a publicação do pai deixe de ser compartilhada, a fim de proteger a privacidade do filho. A revista ainda procurou o pai de Miguel, Roberto Coutinho, para comentar o incidente. No entanto, não obtiveram resposta.

Resposta do pai

Após repercussão do lado de Mara, Roberto também contou seu lado hoje em seu Facebook, a respeito das palavras da ex-esposa. Leia abaixo:

Depois dessa repercussão toda, onde eu contei minha indignação sobre a festa na qual meu filho não compareceu, a mãe do…

Posted by Roberto Coutinho on Friday, April 27, 2018

Fonte: Revista Crescer

POSTS PATROCINADOS