Padre faz duras críticas ao machismo, à homofobia e à cultura do estupro e impressiona fiéis


PUBLICIDADE

Homofobia, machismo e cultura do estupro. Todos estes são temas cada vez mais polêmicos. Há quem seja contra o cada um deles e há também, é claro, os que defendam.

Mas o que será que um padre, especificamente o padre Julio Lancelotti, pensa sobre o assunto? Para falar a verdade, em meio a um discurso durante uma pregação em São Paulo, ele simplesmente surpreendeu.

PUBLICIDADE

“Numa sociedade como a nossa, eu fico impressionado (e não tenho medo de dizer isso) em aparecer nas pesquisas [presidenciáveis] uma pessoa homofóbica e violenta como Bolsonaro, seguida por tantas pessoas. Isso é vergonhoso!,” apontou o padre.

Não só isso. Em meio ao Dia Internacional da Mulher, o padre fez uma declaração forte sobre o machismo e a cultura do estupro:

“Para celebrar o Dia da Mulher, não basta dizer parabéns. Você tem que ser alguém que mude a cabeça, a forma de pensar, a maneira de educar, para que não haja mais cultura do estupro, em que os meninos não pensem que são mais fortes que as meninas, e que os meninos não mandem nas meninas. Meninos e meninas são dignos em imagem e semelhança de Deus.”

Incrível, não?! Para finalizar, o religioso ainda fez uma crítica à moral e os bons costumes, algo também muito discutido atualmente. “Nós vivemos num mundo em que um homem tiver uma mulher 40 anos mais jovem é elogio para o homem; mas se uma mulher tiver um homem 40 anos mais novo, ela é anormal. Isso é cultura machista!”

Veja o momento:

Você concorda com a declaração dele? O que acha?

Fotos: Facebook/Reprodução

POSTS PATROCINADOS

Beatriz Ponzio

Jornalista, introspectiva, criativa, sensível, sonhadora, apaixonada por dança e pela vida.