Padre cede paróquia para cultos evangélicos após tragédia em Mariana


PUBLICIDADE

Todos sabem que os acontecimento com o rompimento da barragem da mineradora de Samarco na cidade de Mariana, em Minas Gerais, comprometeram muitas pessoas e deixou muitas vítimas. Devido ao acontecido, muitos perderam tudo o que tinham e precisaram começar uma nova vida.

PUBLICIDADE

Quem também precisou de nova locação, foram os devotos da Primeira Igreja Batista de Mariana, que teve seu templo atingido pela lama do desastre, destruindo todo o local. Mas o que ninguém esperava é que um padre, pároco da Igreja de São José, da cidade de Barra Longa, a 60 Km de Mariana, Wellerson Magno Avelino, de 39 anos, iria se comover e ceder sua paróquia para que os fiéis da PIB pudessem fazer o seu culto. De acordo com o padre, que teve apoio da arquidiocese, nesse momento de tristeza e dor, a missão de um cristão filho de Deus é acolher o próximo, assim como Cristo fez.

O gesto fez com que católicos e evangélicos se unissem nesse momento de desespero e perdas. Os cultos são motivos de alegria e esperança para ambos os grupos e até mesmo o padre partilha de alguns momentos junto da Igreja Batista. Em uma postagem o bispo anglicano Josep Rossello, que foi também quem publicou as primeiras fotos, disse que “em momento de tristeza e dor, a missão como cristãos e filhos do mesmo Deus, é acolher uns aos outros. O padre Wellerson está de parabéns, pois faz o bem sem olhar a quem”, justificou.

Ainda que a atitude seja muito louvável, alguns colegas do Pe. Wellerson fizeram críticas ferrenhas contra a atitude do pároco. Em resposta ele afirmou que “Nossa igreja está de portas abertas, servindo de base para a atuação de voluntários de diversas partes do país, inclusive de outras religiões. Fizemos um culto ecumênico dias atrás que ajudou a manter a serenidade num momento muito difícil. O verdadeiro cristão é aquele que acolhe seus filhos, seja de onde for e em qualquer circunstância”.

Essas atitudes mostram que é possível respeitar as crenças do próximo e conviver em paz mesmo com quem não concorda com a nossa doutrina. Enquanto uns atiram pedras por aí porque não aceitam que somos tão diferentes, outros abrem a porta de sua casa porque entendem que não precisamos destruir o outro para obter sucesso. Quando o amor é tido como principal mandamento, não existem placas de religiões ou extremismo de pensamento que nos separe dos nossos irmãos. É muito bom saber que existem pessoas que entendem que juntos somos mais fortes.

POSTS PATROCINADOS