‘Orca falante’ que bombou na web passa por treinamento ‘cruel’. Entidades condenam métodos


Orca falante chama a atenção
PUBLICIDADE

Wilke, a ‘orca falante’ que vive – em cativeiro – no Aquário Marineland, em Antibes, na França, se tornou protagonista de uma polêmica. Após se tornar famosa por conseguir vocalizar palavras ditas por sua treinadora, a baleia virou alvo de socorro de duas associações de proteção dos animais marinhos. Ambas as entidades afirmam que o treinamento ao qual o mamífero aquático é submetido é ‘cruel’.

De acordo com o ORCA, grupo de defesa e prevenção das ‘baleias assassinas’, a experiência, na qual o animal é estimulado a ‘falar’ e a imitar gestos dos treinadores não deveria ser realizada com um animal preso em cativeiro, mas sim com os cetáceos vivendo soltos em seu habitat.

PUBLICIDADE

“Infelizmente, pesquisas como essas serem conduzidas em cativeiro são outro exemplo do aprisionamento desnecessário dos cetáceos pelo mundo. Estudos recentes concluídos no habitat natural tiveram resultados similares, sem a necessidade de manter o animal enclausurado em um local inadequado para seu tamanho”, se posicionou a associação.

A entidade afirma que como as orcas já são capazes de imitar o som que ouve de outras espécies, fazer uma análise com o animal solto ajudaria a aprimorar e apurar ainda mais a inteligência do mamífero. E mais, mostraria o quanto ele é capaz de aprender algo novo estando em seu próprio habitat.

A posição da ORCA conta com 100% de aprovação da Wild Dolphin Retreats, uma outra instituição que se manifestou a respeito da causa. Membro da equipe, Jemma Pritte comentou que: “Eu nado com golfinhos e baleias selvagens pelos últimos 20 anos. Você consegue obter tudo o que quer saber desses animais em seu próprio habitat. E eles não estão estressados. Quem somos nós para colocar essa incrível espécie na prisão? É cruel”.

O aquário ainda não se manifestou.

Fonte: O Globo

POSTS PATROCINADOS