PUBLICIDADE

Quase. Foi quase, mas a família pode descansar em paz, porque a menininha de três anos, Eden Carlson ainda teria muito para viver, apesar de todos sentirem que isso não aconteceria.

Todo esse medo ocorreu logo depois da menina cair na piscina, ficando duas horas sem pulso. A mãe Kristal Carlson se lembra muito bem do desespero. Enquanto ela fazia massagens cardíacas na menina, a irmã ligava para o 911, chamando uma ambulância.

“Eu estava completamente em pânico. Completamente em pânico. Meus filhos ouviram os meus gritos'', disse ela. Até então, quando chegaram ao hospital, tudo indicava que a menina não seria a mesma após os médicos identificarem que ela tinha sofrido uma lesão cerebral.

“Quando começou a ficar claro que não havia nada medicamente possível a ser feito com a nossa filha, começamos a olhar a internet e a procurar formas diferentes de como lesões cerebrais poderiam 'melhorar' por meio de métodos alternativos'', revelou Kristal.

E lá estava a resposta: o tratamento chamado terapia hiperbárica de oxigênio, o que envolve respirar oxigênio puro e é geralmente usado em pacientes que sofrem com a doença de descompressão, que muitos mergulhadores sofrem.

Felizmente, o Dr. Paul Harch da LSU Health New Orleans School of Medicine topou fazer o procedimento. Duas vezes por dia ela recebia o oxigênio pressurizado e era colocada em um câmara também pressurizada para receber o oxigênio, cinco vezes por dia.

“Anteriormente ao seu primeiro tratamento, ela ficava se contorcendo, se mexendo para um lado e para o outro e não focava os olhos em nada'', conta o médico. ''O que eu queria descobrir era se ela iria responder ao oxigênio e como iria responder a câmara hiperbárica.''

Mas apenas algumas horas depois, o cenário havia mudado completamente. ''Ela não estava se contorcendo tanto. Ela começou a focar. Com o segundo tratamento, ficou claro que seus olhos estavam mais acesos'', revelou ele.

Semanas depois, o mais incrível aconteceu e a menina começou a andar, se apoiando na mãe. ''Estou andando! Estou andando'', dizia ela. Parece que Eden havia voltado a seu 'eu' anterior como deveria ser.

“É fofo tanto quanto é perfeitamente espontâneo. É incrivelmente satisfatório. Sabe, se minha carreira e vida terminassem amanhã, tudo isso teria valido a pena. É um sentimento incrível'', disse o médico.

Além disso, quem não conseguia conter a felicidade e as lágrimas de alegria era a mãe. “A personalidade dela está de volta; ela está com seu senso de humor de volta. Ela gosta de tudo. Ela ainda tropeça nos pés, mas está melhorando a cada momento'', revela.

Eles realmente pensavam que haviam perdido a menininha, mas o destino deu um chega pra lá e mostrou quem é que manda, certo?!

Fotos: Reprodução.

PUBLICIDADE