Onça Juma é morta a tiros por militares em evento da tocha olímpica em Manaus


PUBLICIDADE

Cada dia mais parece que a pobreza humana se cerca sobre nós. Parece que temos mais direito do que outros seres vivos ou é isso que queremos acreditar.

Foi mais ou menos isso que aconteceu com a mascote do Comando Militar da Amazônia (CMA), Juma, a onça-pintada de Manaus enquanto participava da cerimônia com a tocha olímpica. Mas a onça acabou fugindo no fim do evento.

PUBLICIDADE

E isso lhe custou a vida. Sua morte pelo exército foi confirmada pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e o Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) ainda irá apurar as circunstâncias da fuga do animal e seu abate (com uma pistola, aliás).

Lembrando que a onça-pintada é um dos animais silvestres mais ameaçados de extinção da Amazônia.

A prática de tratar onças como animais domésticos é considerada um erro pelos biólogos e veterinários. A mais provável causa da fuga de Juma seria o estresse com o evento. Afinal, havia muita gente e muito barulho, o que não é algo que os animais selvagens deveriam estar acostumados. E pelo que se sabe a presença desses animais em desfiles é bem comum em Manaus.

É realmente muito triste essa cena. Em primeiro lugar, por que uma onça-pintada tinha que aparecer em um evento da tocha olímpica?

Sem comentários.

Beatriz Ponzio

Fontes: twitter, Jair Araújo/new.d24m.com, Jair Araújo/Diário do Amazonas.

POSTS PATROCINADOS

Beatriz Ponzio

Jornalista, introspectiva, criativa, sensível, sonhadora, apaixonada por dança e pela vida.