Oficiais desconfiam de uma nota suspeita anexada à bagagem. E, quando resolvem abri-la, encontram mais de 300 tartarugas


PUBLICIDADE

O comércio ilegal de animais é a terceira atividade clandestina que mais movimenta dinheiro sujo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e armas. Durante essas atividades criminosas as condições de transporte são péssimas e muitos dos animais morrem antes mesmo de chegar ao seu destino final.

Por isso, o trabalho dos oficiais da alfândega é muito importante, ao verificar e investigar cada bagagem eles evitam que esse crime cruel continue acontecendo. E foi uma descoberta feita por um desses oficiais que acabou salvando a vida de 330 tartarugas que estavam sendo levadas à Malásia ilegalmente.

PUBLICIDADE

Tudo começou quando os policiais suspeitaram de algumas caixas que estavam rotuladas com a frase “contém pedras”. Foi então que eles perceberam que haviam algumas bagagens dentro dessas caixas e que todas tinham endereços falsos, o que acabou levantando mais suspeitas.

Então, quando as bagagens foram abertas, algo os surpreendeu: haviam 330 tartarugas ameaçadas de extinção enroladas em um pano branco, possivelmente colocado no local para evitar que elas fizessem barulho. Elas vinham de Madagascar e, felizmente, estavam todas vivas.

Se tivesse chegado à Malásia, esses animais provavelmente teriam sido vendidos como animais de estimação exóticos. Mas, graças ao bom serviço desses oficiais, elas poderão retornar ao seu país de origem o mais breve possível.

Ainda não se sabe ao certo quem foram os responsáveis pelo crime, mas há uma investigação em andamento. Agora, as tartarugas passam por cuidados em um centro de resgate, mas, em breve, poderão retornar ao seu verdadeiro lar.

Imagens: reprodução

POSTS PATROCINADOS