Mulher “engravida” e ao dar à luz descobre que não se tratava de um bebê de verdade


A alegria da gravidez durou pouco após mulher descobrir que não se tratava de um bebê.
PUBLICIDADE

A descoberta de uma gravidez sempre é motivo de muita alegria para uma mulher. É  um momento único que só quem teve a oportunidade de ser mãe sabe como é. A australiana Lauren Knowles pode sentir um pouco da sensação de esperar um bebê. Entretanto o que era motivo de alegria, acabou se tornando algo realmente assustador. Quase que um pesadelo.

Depois de quase sete semanas, a jovem de 27 anos, começou a notar manchas estranhas pelo seu corpo. Foi então que ela decidiu ir ao médico ver o que estava acontecendo e eles pediram para que ela realizasse uma série de exames. Infelizmente o diagnóstico não foi nada agradável. Ela descobriu que na verdade se tratava de uma gravidez molar.

PUBLICIDADE

Na verdade não era um bebê, tratava-se um de um tumor chamado trofoblástico gestacional. A doença começa quando acontece alguma falha no processo de fertilização do embrião. Não se forma um bebê, as células que iriam originar a placenta ficam anormais. O que se forma no lugar do feto é apenas uma massa cheia de cistos. “O tumor cresceu no meu útero da mesma maneira que um bebê, os mesmos hormônios foram produzidos e meus testes de gravidez sempre voltaram positivos.”, disse o Lauren.

A gravidez molar se origina quando as células que iriam formar a placenta acabam sofrendo mutações e fazem com que uma grande massa de cistos se forme.

Devido a gravidade do problema, os médicos decidiram iniciar o tratamento o mais rápido possível. A cirurgia retirou grande parte do tumor, em seguida se iniciou a quimioterapia. Knowles perdeu todo o seu cabelo e ficou extremamente debilitada. O pior de tudo é que mesmo com o tratamento, o tumor continuou a crescer.

Após cinco meses sofrendo com dores intensas e continuas, ela tentou um último método: ela mesmo tentou expelir o tumor empurrando. A tentativa funcionou e ela “deu à luz ao seu tumor”. Mesmo com o útero danificado, Lauren se sentiu aliviada por colocar um fim em seu tormento. O médicos a alertaram que talvez não fosse possível que ela engravidasse mais devido os danos causados pelo tumor.

Entretanto um milagre fez com que um ano depois uma linda criança fosse gerada. A pequena Indi, já com dez meses, veio como uma luz no fim do túnel de Lauren.

Mesmo com os danos causados pelo tumor, Lauren conseguiu dar à luz a uma linda menina chama Indi.

Agora ela tenta inspirar outras pessoas que passam pelo mesmo problema. Com mensagens de apoio e dicas ela tenta encorajar outros pacientes. “Quero dar às pessoas a esperança de que, mesmo nos piores cenários, o que parece impossível ainda é possível, aumentando a consciência da gravidez molar”, disse ela. 

 

Fonte: Nypost 

POSTS PATROCINADOS