Mulher amarra focinho de cachorro com fita adesiva, mas não espera pelo que aconteceria


PUBLICIDADE

Uma mulher, que se identifica no Facebook como Katie Brown, carregou uma foto chamando atenção ao seu método para fazer seu cachorro parar de latir. Na imagem aparecia seu cão com uma fita adesiva, conhecida como “silvertape”, no focinho. A legenda dizia “É isso o que acontece quando você não se cala”.

PUBLICIDADE

Se o que a mulher buscava era chamar a atenção, ela conseguiu. E de modo muito eficiente! Só que não do jeito que ela esperava.

Imediatamente milhares de usuários, indignados, começaram a escrever com criticas fortes na foto, chamando Katie de abusadora e enviaram ameaças de morte. Em menos de 32 horas já tinha sido compartilhada 288.000 vezes. E quando quando uma de suas amigas pediu que, por favor, dissesse que isso era uma mentira, ela só se dignou responder:

“Não posso mentir. Fiz isso durante apenas 60 segundos. Foi só um tempo, acabou. Não entrem em pânico, foi só por um minuto, mas ele não voltou a latir de novo… Aprendeu da lição”

Em paralelo, telefonemas para a polícia local foram feitas na intenção de denunciar os maus tratos contra o cão e exigindo que algo fosse feito. O resultado foi que a polícia começou uma investigação, pegou a imagem e pediram que não ligassem mais, pois as medidas já estavam sendo feitas. Foram tantas ligações para a emergência, que foi precisa sete operadores extras para darem conta das queixas.

A polícia de três estados trabalhou em conjunto para resolver este caso e chegou ao nome real da mulher: Katharine Lemansky. Ela tem 45 anos e então recebeu esta surpresa quando a polícia apareceu em sua casa dizendo que ela tinha cometido atos de crueldade contra o animal e que deveriam inspecionar seus cães para ver se eles tinham sinais de algum outro tipo de abuso. “Fechar o focinho de seu cachorro com fita adesiva foi uma terrível decisão por parte da senhora Lemansky e cometer atos de crueldade contra animais vai contra as leis da Carolina do Norte, essa foi a maneira correta de atuar.”

Como era de se esperar, ela foi obrigada a se apresentar por atos de crueldade. Não lhe tiraram o cachorro, pois ele não apresentava naquele momento “sinais de abuso” portanto, não podiam tirá-lo da dona. Assim, o labrador ainda vive com ela. A possível condenação que ela irá enfrentar é de 150 dias em cárcere privado e uma multa de U$5.000. Esperamos que ela tenha aprendido sua lição e que as pessoas que presenciem casos de maus tratos aos animais, não permaneçam caladas. Todos juntos somos mais fortes do que qualquer fita adesiva, qualquer falta de amor!

POSTS PATROCINADOS