Moradores de prédio recebem carta fofa de um cãozinho idoso


PUBLICIDADE
Os animais também sofrem preconceito quando alcançam a terceira idade

Quem já teve um bichinho de estimação por muito tempo sabe que a idade avançada dos bichinhos chega muito mais rápido do que gostaríamos. E com ela, também chegam os problemas de saúde.

No caso do Seu Noronha, ele está cego e já não consegue mais subir escadas como fazia na sua juventude. Portanto, sua dona usa o elevador social para subir e descer, sempre que Seu Noronha pede para passear.

PUBLICIDADE

Tudo isso causou um certo desconforto em uma das vizinhas desta dupla, o que fez com que o Seu Noronha se sentisse na obrigação de enviar uma carta aos moradores do prédio, pedindo mais compreensão.

Confira na íntegra a carta escrita por sua dona, Irene Bitencourt‎:

“Hoje aconteceu uma coisa muito chata. Segurei a porta do elevador para uma mulher e quando ela viu que eu estava com os cachorros, falou que ia subir de escada. Falei ok e quando fui soltar a porta ela disse ‘você que deveria subir de escada’. Expliquei que o Seu Noronha tem 18 anos, que ele não consegue mais subir e descer escadas. Ela retrucou ‘leva no colo’. Mostrei que ele é um cachorro de quase 30kg, que não aguento subir com ele no colo.
O prédio só tem um elevador e está à disposição de todos. Ela ficou sem argumentos e foi de escada.

Então tive a ideia de deixar uma carta do Seu Noronha para essa mulher e os demais moradores do prédio. Quem sabe assim não conseguimos conscientizar um pouco pessoas como ela?”

“Queridos moradores do prédio,
Meu nome é Seu Noronha. Sou um cachorro de 18 anos com muitas limitações. Sou cego, surdo e não consigo mais subir e descer escadas.
Mesmo com todas essas dificuldades eu ainda faço questão de passear um pouco 2 vezes por dia. Então pode acontecer de vocês me cruzarem no elevador. Meus pais não conseguem me levar no colo nas escadas porque tenho quase 30kg.
Queria muito que vocês fossem compreensivos se me virem subindo ou descendo de elevador. Sou muito bonzinho, não faço nenhuma sujeira.
Se tudo der certo, um dia todo mundo ficará velhinho e precisará de cuidados especiais, né? Não sou humano mas mereço o mesmo amor e respeito!

Com carinho,abanos de rabo e muitos Lambeijos…
Seu Noronha”

Torcemos para que a carta de Irene conscientize os moradores do prédio, e qualquer um que ler essa matéria, sobre as dificuldades que os animais também enfrentam na velhice. Muito amor para o Seu Noronha!

Fonte: Facebook

POSTS PATROCINADOS