Mãe que teve trigêmeos agradece enfermeira por tirar foto do seu filho antes de morrer


Mãe agradece enfermeira por tirar foto do filho antes de morrer
PUBLICIDADE

Perder um filho é uma dor que nenhuma mulher gostaria de experienciar. Stacey Skrysak, infelizmente, passou por isso não uma, mas duas vezes. Ela é bloqueira e âncora de um programa de TV. Em 2013, a americana deu à luz à trigêmeos, Peyton, Abigail e Abby, quando estava ainda na 22ª semana de gestação.

Apenas um bebê sobreviveu, o pequeno Peyton. Os outros dois não resistiram, mesmo após um intenso tratamento na UTI. Agora, anos depois, ela fez um relato agradecendo todo o apoio que recebeu, principalmente das enfermeiras, enquanto esteve internada. Seu texto foi publicado no Her View From Home e compartilhado por muitas pessoas, emocionadas pela história de Stacey.

PUBLICIDADE

Enfermeira é um “anjo” em sua vida:

“Mesmo que dois dos meus trigêmeos terem morrido sem sair do hospital, sou eternamente grato a UTI neonatal. É um lugar onde existem milagres e é por causa de um grupo especial de pessoas que eu gosto de chamar de ‘trabalhadores milagrosos’.” 

Ela agradece pela enfermeira ter tirado uma foto de seus filhos, pois foi a única forma que ela pôde conhecê-los:

Enfermeira cuida de bebê

“Um dia depois dar à luz aos meus trigêmeos, poucas horas depois do meu primeiro filho morrer, acordei em uma cama de UTI. Eu não consegui conhecer dois dos meus bebês devido ao meu estado de saúde, mas tiraram fotos de meus queridos filhos e trouxeram para minha cama do hospital, permitindo-me ver o milagre da vida. Por isso, obrigado à enfermeira que me apresentou pela primeira vez aos meus filhos.”

Stacey relata como as atitudes da enfermeira cuidando dela e da sua família foram essenciais e ficaram marcadas na sua vida. A mulher a ajudou em diversos momentos, principalmente ao segurar seus filhos quando ainda lutavam pela vida:

“Com uma semana de idade, eu olhei para meus filhos e observei seus peitos subirem e caírem com cada respiração. Enquanto olhava com espanto para suas perfeitas características pequenas, você se aproximou de mim com um sorriso. Você olhou para mim e disse: ‘Você está pronta para segurar sua filha?’ Com os olhos bem abertos, simplesmente disse sim com a cabeça, incapaz de tirar as palavras da minha boca. Com apenas 473 gramas, segurei minha filha pela primeira vez; Suas mãos em miniatura ficaram perfeitamente no meu peito. Obrigado à enfermeira que me deu esse primeiro marco. Está gravado no meu coração para sempre.” 

Enfermeira cuida de bebê

Segundo ela, a equipe inteira se sensibilizou com a história deles e chorou junto ao ver seus bebês indo embora. Eles os apoiaram, ligaram, se importaram. Além de médicos, foram humanos acima de tudo.

Não foi uma única pessoa que fez a diferença por lá, é uma família de enfermeiras que mudou nossas vidas para sempre. Para as enfermeiras que cuidaram dos nossos filhos, obrigado do fundo do meu coração. Obrigado por ser mãe dos nossos filhos quando não conseguíamos ficar todo o momento ao lado deles na cama. Obrigado por ser o ombro que nos apoiamos quando precisávamos respirar, ou rir, ou chorar. Você está fazendo seu trabalho, mas também está fazendo parte da vida de todas as famílias de lá. É preciso ser uma pessoa especial para se tornar uma enfermeira da UTI neonatal. Obrigado por ser o trabalhador milagroso dos meus filhos.”, Stacey finaliza.

Mesmo com toda a dor, o suporte que recebeu desses profissionais ajudou a família a ser mais forte. A enfrentar aquilo tudo que estavam passando de frente. Hoje, sua filha cresceu e está saudável!

Foto: Reprodução/ Instagram

Fonte: Revista Crescer

POSTS PATROCINADOS