PUBLICIDADE

Sabe aquelas famosas "pescadas" que a gente dá quando está sentindo muito sono e que nos pegam em qualquer hora ou lugar? Chamada de microssono, a condição costuma durar poucos segundos, mas dependendo do estado do cansaço, o período pode se prolongar por alguns minutos. E por mais que a gente tente ficar acordado ou se manter concentrado, o sono se mostra mais forte.

De acordo com cientistas, ainda não há uma explicação totalmente conclusiva para o microssono, no entanto, a hipótese mais aceita é a de que o cérebro chega a um limite suportável de experiências sensoriais, e por tal, exige um tempo para poder se "reorganizar".

Muitas pessoas não tem o controle de quanto tempo sua "pescada" durou, pois para que possamos lembrar do sono, é necessário um descanso de pelo menos um minuto. No caso de dormir por segundos, o cérebro não registra a informação de que dormimos.

O microssono pode ser perigoso

Um grupo de cientistas realizou um experimento com voluntários em Cingapura com a finalidade de avaliar o que acontece com o cérebro durante o microssono. Por mais de 22 horas, as pessoas envolvidas no estudo ficaram acordadas e, então, foram colocadas em câmaras escuras para que pudessem ter o cérebro escaneado. A única obrigação imposta era a de que elas não poderiam dormir nas salas sem luz, mesmo após passarem praticamente o dia todo acordadas.

A conclusão obtida foi que o cérebro apresentava uma menor atividade no tálamo (região que controla o sono) enquanto o microssono acontecia. Entretanto, ao mesmo tempo foi identificada uma espécie de "explosão" de atividades nas áreas que envolvem as sensações e a atenção. Ou seja, o próprio órgão faz um esforço intenso para se manter ativo e nos manter acordados.

A consequência dessa falta de controle sobre o próprio sono pode fazer com que os poucos segundos sejam o suficiente para um desastre acontecer. Nos Estados Unidos, por exemplo, o microssono está ligado a mais de 1,5 mil mortes no trânsito todos os anos. E quanto mais tempo de cansaço no volante, mais "pescadas".

Solução para o microssono

Sem invenção ou enrolação, a solução para o problema é a mais óbvia e eficaz possível: boas noites de sono. Seguir o tempo ideal de sono - 7 a 9 horas - fará com que seu cérebro funcione de maneira normal conforme for entrando no ritmo do sono controlado.

PUBLICIDADE