Idoso de 79 anos aprende a dirigir para levar a esposa doente ao hospital. ”Minha vez de ajudar ela”


PUBLICIDADE
Hoje ele quem a leva de carro para tratar de seu câncer

A maioria de nós possui alguma forte memória relacionada aos testes de direção. Podem ser lembranças traumáticas ou do sucesso que você teve na avaliação, mas a tensão dos momentos que precedem os resultados é certeira.

No caso de Keith Limbert, morador da cidade de West Yorkshire, Inglaterra, essa lembrança foi construída aos 79 anos de idade.

PUBLICIDADE

Durante toda a sua vida de casado, a esposa foi quem o levou para todos os lugares que precisava. Keith chegou até a ensaiar um teste de direção na sua juventude, mas desistiu por não achar que aquilo era para ele. “Para ser bem honesto, não gostava de dirigir”, confessa o senhorzinho.

Desde que desistiu da sua vida atrás de um volante, a sua amável esposa Anne é quem conduz a família. Porém, tudo mudou em 2015 quando Anne sofreu um ataque cardíaco.

Keith e Anne
Foto: Metro

A idosa ficou presa à uma cadeira de rodas, portanto, não podia mais conduzir.

Por um bom tempo o casal ficou confinado em casa e dependiam da boa vontade de terceiros para ir aos lugares que gostariam. Foi aí que Keith finalmente tomou a decisão de tirar sua carteira de motorista.

 

Isso foi impulsionado, principalmente, pelo fato de que Anne foi diagnosticada com câncer no pulmão um ano após o infarto.

As aulas de direção

Com a ajuda de um instrutor chamado Andy Walker, Limbert perseverou por 10 meses de aulas intensivas para conseguir obter sua primeira carteira de motorista.

O idoso foi reprovado nos dois primeiros testes. No primeiro por ter acelerado demais, e no segundo por ter feito uma curva proibida. Mas na terceira vez, o sucesso chegou e ele conseguiu a sua habilitação.

Keith Limbert
Foto: Metro

“Eu fiquei bastante irritado porque cada reprovação era um dinheiro que eu não tinha”, reclama Limbert. “Mas graças a Deus eu passei no final”, comemora.

Rotina

Infelizmente, suas viagens são limitadas ao percurso de sua casa até o hospital, por causa do tratamento rigoroso em que Anne está sendo submetida. Porém, ele torce para que depois da recuperação eles possam fazer uma viagem à lazer em que ele conduza o volante.

“Eu tento fazer caminhos alternativos para mostrar para ela lugares onde tenha bastante vida acontecendo”, conta Limbert.

Keith Limbert
Foto: Metro

Agora o casal é capaz de viver uma vida confortável graças a essa nova liberdade. Mais importante ainda, essa conquista permite que os Limberts aprimorem as condições da batalha contra o câncer, por causa da comodidade.

Desejamos a Anne sucesso em sua batalha contra o câncer de mama e torcemos para que Keith mantenha esse espírito juvenil durante o resto de sua vida.

Fonte: LifTable

POSTS PATROCINADOS