Consumo de ibuprofeno traz um sério risco aos bebês. E toda gestante deve saber por quê


Consumo de ibuprofeno na gravidez pode prejudicar a fertilidade das filhas
PUBLICIDADE

De acordo com um estudo publicado na revista virtual Human Reproduction, o consumo de ibuprofeno por parte de mulheres grávidas até 24 semanas pode ser muito prejudicial aos bebês – em específico, as meninas, no caso. O remédio pode afetar diretamente na fertilidade das futuras filhas.

Normalmente consumido para tratar problemas como dores e enxaquecas, o medicamento, segundo os responsáveis pelo estudo, causa problemas para os bebês. Eles explicam que a exposição ao medicamento nos estágios iniciais da gestação fazem com que ocorra uma considerável perda das células germinativas. Essas células são responsáveis por originar gametas, espermatozoides e óvulos nos fetos.

PUBLICIDADE

Morte celular

Em experiências realizadas sob análise do tecido do ovário, os pesquisadores identificaram que a exposição aos componentes do remédio fazem as células pararem de crescerem ou morrerem. Mesmo alguns poucos dias de inserção do remédio no organismo já são suficientes para atingir a criança. Na pesquisa foram estudados 185 fetos de sete a doze semanas.

Foto: Reprodução

“A concentração que encontramos nos cordões umbilicais dos fetos de mães que ingeriram quatro comprimidos de 200 mg, de duas a quatro horas antes da análise, é quase a mesma encontrada no sangue de um adulto”, explicou o cientista Severine Mazaud-Guittot. “Descobrimos que havia menos células crescendo e dividindo, mais células morrendo e uma perda dramática de números de células germinativas, independente da idade gestacional do feto”, acrescentou.

Fonte: Viva Bem

POSTS PATROCINADOS