Fim da carrocinha comemora dez anos e não poderíamos estar mais felizes com isso


PUBLICIDADE

Neste mês de abril, a lei contra a matança indiscriminada de animais de rua em todo o estado de São Paulo (nº 12.916) completa dez anos. A realidade passada era triste, que assustava não só animais, mas também as crianças que morriam de medo do terror de ver cães serem jogados em um cão com um destino trágico.

Isso porque, antes da lei entrar em vigor, os animais capturados pela prefeitura eram mortos na câmara de gás e de descompressão, com choque. Após muita luta dos funcionários do CCZ-SP (Centro de Controle de Zoonoses) e de políticos, esta tortura finalmente teve fim.

PUBLICIDADE

“Antes da lei, os animais eram mortos em três dias. Só o CCZ de São Paulo matava, em média, de 80 a 90 cães e gatos por dia – não há estatísticas para outras cidades do interior, mas milhares de animais eram mortos todos os anos. Não existe nada no mundo que recompense mais do que ver que esses animais, ao invés de sacrificados, hoje estão vivos e em busca de um novo lar“, comentou o deputado Feliciano Filho.

Esse regime triste sobreviveu de 1973 a 2008, quando a Carrocinha teve seu fim. Só escapava da eutanásia os animais que fossem resgatados pelos donos no prazo de três dias, pagando uma multa. A prefeitura visada essa medida como uma forma de prevenir a raiva e ter um controle populacional.

“A lei propiciou uma mudança de paradigma, por isso já está sendo implantada na maior parte dos estados brasileiros. O controle populacional de cães e gatos sem matança e por meio da castração é, aliás, a recomendação da OMS – Organização Mundial da Saúde”, comenta o deputado. E realmente São Paulo serviu de exemplo para que o resto do Brasil também proibisse a matança.

Laço laranja

O laço laranja é o símbolo que nos lembra dessa luta pelos animais que hoje é um motivo de orgulho. A cor foi escolhida pela Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade Contra Animais (ASPCA), para representar o mês da Prevenção da Crueldade Contra Animais em todo o mundo, que também é em abril. Esse é o momento perfeito para pensarmos no quanto tantos animais de rua sofrem com agressão, fome, tristeza, abuso e exploração.

Atualmente, o CCZ realiza o controle populacional através de campanhas de castração gratuitas. O controle de raiva é realizado através da campanha de vacinação também gratuita. A eutanásia é feita somente com autorização do veterinário desde que seja indicada pelo CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária).

Mas a parte boa é que temos a oportunidade de ter esses cãezinhos e gatinhos em casa. Vamos adotar e não comprar, sempre! Se você quiser ter em casa um amor sem tamanho, procure já a CCZ da sua cidade.

Fonte: Estadão

POSTS PATROCINADOS