Aos 92 anos, idosa da à luz feto de 60 anos. Entenda a (estranha) história


PUBLICIDADE

Em 1998, a chinesa Huang Yijun, uma idosa de 92 anos, chocou o mundo. Após sentir fortes dores abdominais e procurar auxílio médico, a senhora “deu à luz” – não, você não leu errado. Mais especificamente, a um feto litopédio (bebê de pedra, se preferir).

O fenômeno pelo qual Huang passou é muito raro. A mulher passou 60 anos com o feto que não se desenvolveu em seu corpo. Casos assim ocorrem em gravidezes que se passam fora do útero – gravidez ectópica. Nelas, os bebês acabam calcificados dentro do corpo do mãe. Isso os fazem ter um aspecto de pedra. Até então, não mais do que 300 casos foram documentados no mundo.

PUBLICIDADE

Assim que acontece a morte de um feto, o corpo não consegue absorvê-lo pelo organismo ou simplesmente expulsá-lo. Então, enquanto ele continua no organismo, lentamente se calcifica. O processo é um mecanismo natural do corpo da mãe para que infecções sejam evitadas.

Huang protagonizou uma situação duplamente rara e incomum. Afinal, além de desenvolver o feto litopédio, ela o manteve pro 60 anos. E ela alegou que, durante todo esse tempo, ela esperou que em algum momento o seu corpo “se livrasse” do bebê, pois ela não tinha condições financeiras de buscar ajuda médica.

Foto: Reprodução

Fonte: Diário de Biologia

POSTS PATROCINADOS