Ela perdeu sua filha ainda na gestação. Então, resolveu visitar o cemitério todos os dias e ajudar outras mães


PUBLICIDADE

O momento em que a mulher descobre estar grávida costuma ser uma grande alegria, não só para ela, mas para toda a família. Mas, esse não foi o caso de Nicole Wieringa.

A moça estava grávida de 17 semanas, de sua terceira filha, mas ao longo da gestação ela sofreu algumas complicações e durante um exame de rotina, descobriu que seu bebê estava morto em sua barriga.De acordo com os médicos, um coágulo de sangue na placenta de Nicole pode ter causado o aborto tardio. No dia seguinte, ela teve de operar e dar à luz a Finley Grace – pouco depois, ela enterrou a pequena. Sua dor não poderia ser maior. Ela não sabia como lidar com aquilo, só sabia que se sentia muito sozinha e nada do que as pessoas diziam fazia esse sentimento ir embora.Sentindo muita falta de sua bebê, ela começou a ir sempre ao cemitério Cemitério Riverside em Hastings, Michigan, visitar seu túmulo e ficava caminhando por lá, como uma espécie de terapia. Com o tempo, passou a observar o túmulo de outras crianças e adolescentes e ao se sentir conectada com eles, teve a seguinte ideia – deixar uma pedrinha em cima de cada um, para mostrar para suas mães que mais alguém se importava e olhava por seus filhos.Nicole queria dar voz à pequena Finley e fazer algo em sua memória. Com seu balde verde e pedras coloridas, além de confortar outras mães, ela também encontrou paz no seu coração.

PUBLICIDADE

Foto: Reprodução/ Vídeo/ Little Things

POSTS PATROCINADOS