Essa mãe estava com seu filho especial quando viu dois garotos apontando para ele. Ela não esperava o que eles fariam depois


PUBLICIDADE

Pais de crianças com necessidades especiais estão acostumados a olhares e comentários de estranhos. Alguns olham feio, outros, com pena. Acredite: quem mais se machuca com essas ações, que as pessoas fazem muitas vezes sem perceber, são eles, os pais.

As crianças, então, certamente não têm culpa alguma de como nasceram e tudo seria mais fácil se a sociedade deixasse de ver essas necessidades especiais como um problema, e sim, como algo único daquela pessoa. Todos nós temos as nossas diferenças.

PUBLICIDADE

E, em um dia normal, Leah Carroll levou seu filho, o pequeno Malachi, para almoçar em um restaurante. Acostumada com olhares e sussurros das pessoas em relação ao seu filho especial, ela notou que outros dois garotos o olhavam com olhar de curiosidade.

A mãe deles tentou evitar os olhares que cercavam Malachi, mas em vão, quando um gritou: “mãe, olhe para esse menino!”. Nesse momento, Leah ficou extremamente constrangida, mas percebeu que a outra mulher fez questão de explicar aos filhos, de 5 e 3 anos, que não se deveria dizer coisas assim, muito menos apontar e olhar.

Mesmo assim, crianças são curiosas e não vêem maldade no que dizem. Foi quando a mulher, com toda a paciência, levantou e levou os dois meninos para conhecerem o garoto especial. Enquanto eles se apresentavam e diziam seus nomes, Malachi sorriu de orelha a orelha, tagarelando de volta para eles.

Leah, ao ver a alegria no rosto do filho, não segurou as lágrimas. Ela disse que o pequeno ama crianças de sua idade, mas muitas têm medo de falar com ele. As duas crianças continuaram a fazer perguntas sobre a cadeira de rodas dele, por que suas pernas não funcionam e por que sua boca sempre está aberta. A curiosidade deles era algo sem maldade alguma.

A mãe de Malchi fez questão de escrever sobre o momento nas redes sociais e agradecer à mulher que educou os filhos, ajudando-os a entender que é normal ser diferente.

“Obrigado por dar ao meu filho a oportunidade de conhecer seus filhos. Obrigado por ser o tipo de mãe que educa seus filhos em vez de freneticamente tentar silenciá-los. Mães de crianças com necessidades especiais se acostumam a olhares, comentários e sussurros. Por favor,saibam que é preciso muito para nos ofender, especialmente quando os comentários são provenientes de crianças pequenas”, afirma Leah.

A mãe ainda agrade a outra mãe por ter dado, naquele dia, um motivo para seu filho sorrir. Devemos seguir esses passos e ensinar às nossas crianças que todas são iguais, ensinar o amor pelo próximo, ensinar a empatia e ensinar que a vida pode ser muito melhor se formos mais tolerantes, principalmente, com quem nem conhecemos.

Fotos: Reprodução Facebook

POSTS PATROCINADOS