Depois de 34 anos de casados, ela foi diagnosticada com demência. Foi aí que ele provou seu amor


PUBLICIDADE
Uma foto comovente onde marido carinhosamente segura sua esposa que foi diagnosticada com demência viralizou no Twitter.

Em 2012, Phyllis Feener foi diagnosticada com um subtipo de demência aos 52 anos de idade.

Sua família ficou arrasada ao descobrir que Phyllis tinha demência em uma idade tão jovem. Eles achavam que seus recentes surtos de perda de memória haviam sido causados ​​pela menopausa.

PUBLICIDADE

Nos cinco anos seguintes, o marido de Phyllis, Stan, forneceu conforto imensurável para sua esposa. Começou a trabalhar em casa para que sempre pudesse estar lá para ela e criou uma página no GoFundMe para arrecadar dinheiro e financiar futuros tratamentos.

Ontem, a filha de Phyllis e Stan, Kelli Taylor, compartilhou uma foto no Twitter de seus pais sentados juntos em uma poltrona.

“Meus pais estão casados ​​há 34 anos”, escreveu ela. “Minha mãe está nos estágios finais da demência de início recente (diagnosticada há cinco anos, aos 53 anos).”

“Meu pai cuida dela em tempo integral. Ela nem sempre lembra seu nome, mas sabe que está segura com ele. Se isso não é amor verdadeiro, não sei o que é.”

A bela foto de Kelli destacando a força do amor de seus pais atingiu milhares de pessoas nas redes sociais.

Phyllis Feener e Stan 

Seu tweet, atualmente, tem mais de 120 mil compartilhamentos e mais de 624 mil curtidas, com muitas pessoas desejando bem a família e compartilhando suas próprias histórias sobre cuidar de parentes com problemas de saúde.

“Isso é ser doloroso”, escreveu uma pessoa. “Minha esposa morreu de câncer onze anos atrás.”

Stan e Phyllis

“Mesmo perto do fim, quando pensei que ela não me conhecia, perguntei quem eu era. Ela disse meu nome e ‘você é meu marido’. Ela disse como se estivesse orgulhosa disso. Tornou um pouco mais fácil para mim.”

A família de Phyllis está se esforçando para levantar o máximo de dinheiro possível para que ela possa se sentir segura, confortada e amada enquanto lida com a perda de memória.

Phyllis Feener com seu marido e filhos

“Não temos como saber quanto tempo teremos com Phyllis, depende de como a doença progride”, diz a página do GoFundMe.

“Pode ser dois anos, podem ser vinte anos. De qualquer maneira, esta será uma jornada contínua e precisaremos de ajuda nos próximos anos”.

Fonte: Independent

POSTS PATROCINADOS