Cadelinha sofre de ansiedade e sua ‘mãe’ humana tem a melhor ideia para um tratamento


PUBLICIDADE

Em 2014, a estudante Samantha Kreisler, que morava em Miami (EUA), entrou em um abrigo para levar um cão para sua vida. Assim que chegou no local, avistou uma cadelinha assustada e magra com um sério problema de pele.

Apesar de ter sido desencorajada pela equipe de abrigo, ela sabia que não poderia ir para casa sem aquela cachorrinha solitária que precisava tanto dela. Afinal, a conexão tinha sido imediata.

PUBLICIDADE

“Lady era chamada de Lucy no abrigo. Quando eu a peguei, sua pele em suas pernas traseiras estava tão infectadas, que nós a chamamos de ‘Lady Eczema'”, disse.

Mas com amor e cuidado, as feridas físicas de Lady curaram, entretanto tornou-se evidente que ainda havia um trauma emocional que a cadelinha não havia superado. A cadelinha sofria de ansiedade de separação grave, algo que Samantha poderia amenizar aos poucos, até algo surgir em seu caminho. Ela teve que começar a estudar para seu mestrado.

“Quando Lady era pequena, eu a levava por toda parte”, explicou a dona. “Em todos os lugares … para as aulas … para comer. Eu estudei ciências marinhas e meu campus estava em Key Biscayne, então eu a levava para a praia praticamente todos os dias”.

Por sorte, Lady foi muito bem-vinda ao campus da universidade. “Com a permissão de meus professores, a levei a todas as aulas para o resto da minha carreira universitária. Ela sempre foi tão bem comportada e simplesmente adorava estar em torno das pessoas. Mas quando eu comecei meu mestrado, não poderia mais levá-la para a classe”.

Foi quando ela percebeu que tinha que encontrar uma solução rápida. “Eu comecei a notar que Lady ficava fisicamente doente quando eu a deixava em casa. Ela vomitava, tinha diarreia e mordia as coisas incessantemente. Mesmo que fosse só por alguns minutos, ela ficava louca. Então pensei: ‘qual é a cura para a solidão?’ Um amigo! Eu consegui Kitty no dia seguinte.”

Kitty, nova integrante da família

Kitty era solitária, assim como Lady já havia sido. Mas mesmo antes de trazer gatinha para casa, Samantha teve certeza de que sua “filha” receberia o felino com as patas abertas. “Antes de ter Kitty, Lady teve um caso de amor com os gatos do meu vizinho, Penny e Bruce … Lady cheirava constantemente, lambia e tentava brincar com eles. Nossos apartamentos eram em frente um do outro, então Lady olhava ansiosamente para fora da nossa janela e esperava que um deles se sentasse no peitoril da janela e olhasse para trás. Então, nós sempre soubemos que Lady seria apaixonada por uma gatinha própria”.

E assim que Lady e Kitty se conheceram, foi amor à primeira vista! Agora, elas se aconchegam e brincam juntas o tempo todo. Melhor ainda, a ansiedade de separação de Lady diminuiu significativamente, e Kitty também encontra companheirismo em sua grande irmã canina.

“Elas não se importam que não sejam da mesma espécie, são melhores amigas e irmãs. Eu acho que, porque ambas tiveram começos solitários na vida, elas são dependentes uma da outra por suporte emocional e liberação de estresse’, disse.

 

Que linda dupla, não acha?

 

Fonte: I Heart Dogs

POSTS PATROCINADOS