Saiba o que acontece com o seu bebê quando você começa a rir na gestação


PUBLICIDADE

Você sabia? A partir do sexto mês de gestação, o bebê já pode ser afetado por suas emoções. Pelo menos é o que afirma a pesquisa da Association for Psychological Science. Assim, as suas diferentes reações podem ter um impacto na criança, capaz de formar as atitudes dele em relação à vida.

Coisas como o que você come, como cuida do estresse, lida com a depressão etc., acabam afetando diretamente o bebê.

Mas o que acontece quando você ri?

PUBLICIDADE

rir gestação
Rir na gestação pode influenciar no humor do seu bebê

Basicamente, o bebê se move para cima e para baixo cada vez que você solta uma gargalhada. “Quando observamos o feto no ultrassom e a mãe começa a rir, podemos vê-lo flutuando de cabeça para baixo no ventre, saltando para cima e para baixo, ‘bum… bum… bum’, como se estivesse saltitando em um trampolim”, conta Janet DiPietro da Universidade John Hopkins.

“Quando as mães veem isso na tela, elas riem ainda mais e o feto sobe e desce ainda mais rápido. A gente se pergunta se é por isso que as pessoas crescem gostando de montanhas-russas”, revela.

Para você ter uma ideia, 12 semanas antes da criança nascer, ela já se comporta como um recém-nascido. Ou seja, suas risadas e movimentos já o estão afetando.

Seu humor para o bebê

Tanto a ansiedade, o estresse e a depressão prolongados são passados para o bebê. Por exemplo, mães muito ansiosas durante a gestação podem acabar desenvolvendo bebês ansiosos e com cólica. Já aqueles que nascem de mães deprimidas têm 1,5 mais propensão a terem depressão aos 18 anos. Além de problemas emocionais como agressividade.

Tudo isso só acontece porque esses hormônios são passados para a placenta e, logo, para o bebê. Mas como controlar esse tipo de sensação? Bom, tente aliviar dando umas boas risadas. Por que não?! Elas são capazes de mudar o seu corpo também, sabia?

Você fica mais feliz quando ri, porque você acaba inspirando mais oxigênio, aumentando a quantidade de endorfina no cérebro. Além, é claro, de te relaxar, aliviando a tensão muscular e estimulando a circulação. Por isso, se você rir com frequência, pode ter um sistema imunológico fortalecido, alívio da dor e aumento da satisfação pessoal.

Ah, e claro, tudo isso irá afetar o seu bebê. Não é à toa que ele começa aos poucos memorizar a sua risada conforme a ouve e a sente dentro de sua barriga. Aos poucos, ele vai assimilando a sua personalidade.

Segundo uma pesquisa, a frequência cardíaca do feto acaba diminuindo toda vez que ouve a voz da mãe. Ou seja, sua voz, sua risada, sua cantoria e seu choro viram, aos poucos, algo familiar para ele. Reconhecendo tudo isso, o bebê vai relaxando mais e mais.

Não se apavore

Só porque você não está rindo o tempo todo não significa que ele virará uma pessoa amarga. O estresse ocasional e alguns dias ruins não farão mal a ele. O problema é se isso virar algo frequente, a longo prazo. O melhor é sempre tentar relaxar, praticando um pouco de yoga, tomando um banho, etc.

Mas, lembre-se, sempre que der, não se esqueça de dar umas boas risadas.

Fotos: Reprodução.

Fonte: Família.

POSTS PATROCINADOS

Beatriz Ponzio

Jornalista, introspectiva, criativa, sensível, sonhadora, apaixonada por dança e pela vida.