PUBLICIDADE

Você já imaginou cascas de árvore crescendo pelo seu corpo? Naturalmente, você jamais deve ter pensado em algo assim. Contudo, tal possibilidade, por mais absurda que pareça, faz parte de um caso real.

A situação surreal marca a vida de Abul Bajandar, que se tornou conhecido como "homem-árvore". Nascido em Bangladesh, o rapaz é das quatro pessoas do mundo diagnosticadas com a raríssima condição hereditária chamada epidermodisplasia verruciforme.

A doença começou a atingi-lo quando ele tinha 15 anos, fazendo com que nas extremidades de seu corpo crescessem verrugas que lembram ramificação de árvores. De lá para cá - hoje ele tem 27 anos -, Abul já precisou passar por 16 operações para que, de uma vez por todas, conseguisse resolver o grave problema.

  1. Foto: Munir Uz Zaman/ Stringer/ Getty

As cirurgias foram realizadas gratuitamente no Dhaka Medical College Hospital. Em comum acordo, o centro hospitalar e universitário não cobraria nada desde que Abul permitisse que a equipe pudesse estudar detalhadamente sua condição de saúde.

A doença é caracterizada por uma elevada susceptibilidade à infecção por um vírus chamado papilomavírus humano (HPV). Em muitos casos, esse vírus não traz consigo nenhum sintoma ao corpo, porém, quando o faz, pode causar o surgimento de sérios tumores, como os de Abul.

  1. Foto: EPA

Tendo concluído a última cirurgia, o rapaz vem, aos poucos, se recuperando. A médica Samanta Lal Sen, que liderou a operação, conta que o procedimento representa um marco notável na história da ciência médica. E se caso os tumores não retornarem, Bajandar terá sido a primeira pessoa totalmente recuperada dessa condição.

Entusiasmado, Abul não consegue conter a alegria ao falar que, graças à cirurgia, finalmente poderá segurar seus filhos nos braços e brincar com eles, algo que ele jamais pensou que seria capaz.

  1. Foto: Sam Jahan/ Stringer/ Getty

Abul conta também que a dor que sofria por causa de sua doença era insuportável. E naturalmente, ele não era capaz de segurar nenhum objeto com suas próprias mãos, ficando na dependência de sua esposa.

Mesmo estando em casa, durante alguns dias Abul estará também sobre acompanhamento médico para saber como será o avanço de sua recuperação. E fica a expectativa para que, enfim, o rapaz possa voltar a ter uma vida normal ao lado de sua família.

PUBLICIDADE