Entenda as diferenças entre parada cardíaca e ataque cardíaco e saiba como se proteger


Entenda as diferenças entre parada cardíaca e ataque cardíaco
PUBLICIDADE

Para muitas pessoas, parada cardíaca ataque cardíaco são sinônimos. No entanto, uma condição é bem diferente da outra. E saber identificá-las é essencial para se prevenir.

O processo que desencadeia ambos os problemas é semelhante. Sendo um músculo, o coração precisa de oxigênio e de fluxo sanguíneo. E tanto um quanto o outro é fornecido pelas artérias coronárias. E quando algo – coágulos de sangue – as bloqueiam, um ataque cardíaco ocorre. Nesse caso, o coração ainda continua bombeando sangue, o que não ocorre na parada cardíaca, na qual ele para de bater.

PUBLICIDADE

No caso do ataque, os sintomas incluem:

Foto: Reprodução
  • Dor no peito
  • Dor que se espalha pelos braços, pescoço, maxilar e abdômen
  • Falta de ar
  • Tosse
  • Ansiedade
  • Vertigem ou atordoamento
  • Transpiração
  • Fraqueza muscular
  • Palpitação
  • ‘Morte’ dos músculos caso não haja atendimento imediato

Já a parada cardíaca não se resume à falta de batimentos. Ela também envolve:

Foto: PortalEnf / Reprodução
  • Perda de consciência
  • Falta completa de ar
  • Pulsação muito enfraquecida

Os sintomas do infarto podem ser, também, um ‘aviso prévio’ de uma parada cardíaca.

Causas

Os ataques cardíacos costumam ter como desencadeador principal alguma doença coronária. Elas são causadas, geralmente, pelo acúmulo de gordura nas artérias.

Fatores que podem causar doenças coronárias:

  • Fumar
  • Consumo excessivo de gorduras saturadas
  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Condição genética
  • Exposição à poluição
Foto: Seu Cardio

Já no caso de uma parada cardíaca, entre as principais causas encontram-se:

  • Arritmia
  • Taquicardia
  • Doenças cardíacas coronárias
  • Mudanças da estrutura do coração
  • Afogamento
  • Choque elétrico
  • Hipotermia
  • Consumo de drogas
  • Consumo em excesso de álcool
  • Falha no marca-passo

A melhor maneira de se prevenir de ambos é manter uma rotina equilibrada de exercícios e uma dieta saudável e balanceada. Além disso, é essencial evitar situações como estresse e o consumo de álcool, cigarro ou drogas.

E a recomendação é ainda mais importante para pessoas mais velhas, cujo risco de sofrer com alguma das condições é ainda maior.

Fonte: Cura pela Natureza

POSTS PATROCINADOS