Arqueólogos se assustam e tentam descobrir mistério de múmia alienígena encontrada no deserto


PUBLICIDADE
Múmia alienígena encontrada no deserto do Chile há 15 anos ainda gera discussões

O debate começou em 2003, quando os restos mumificados da Ata foram descobertos perto de uma cidade fantasma no Deserto do Atacama, no Chile.

Um empresário espanhol, Ramón Navia-Osorio, comprou sua múmia e em 2012 permitiu que um médico chamado Steven Greer usasse imagens de raios X e tomografia computadorizada para analisar seu esqueleto.

PUBLICIDADE

Greer é o fundador do The Disclosure Project, e foca seu trabalho em divulgar completamente os fatos sobre OVNIs, inteligência extraterrestre e sistemas avançados de energia e propulsão, de acordo com seu site.

A múmia tem o tamanho de um feto humano, mas um radiologista que analisou as imagens disse que os ossos de Ata eram tão maduros quanto os de um ser humano de seis anos de idade.

Na época, Greer também forneceu amostras da medula óssea de Ata ao imunologista Garry Nolan na Universidade de Stanford em Palo Alto, Califórnia. A equipe de Nolan sequenciou o DNA de Ata e concluiu que seu material genético era de um ser humano, não um alienígena.

Mas ele não conseguia explicar como uma pessoa tão pequena podia exibir uma aparência física tão incomum.

Origem

“Uma vez que entendemos que era humano, o próximo passo foi entender como algo poderia vir a ficar assim”, diz Nolan.

Nolan trabalhou com pesquisadores genéticos em Stanford e com a equipe do biólogo computacional Atul Butte na Universidade da Califórnia, em San Francisco, para analisar o genoma de Ata.

De acordo com o novo estudo, mutações estão presentes em sete dos genes da múmia, todos envolvidos no crescimento humano.

Nolan agora acha que essa combinação de mutações causou as anormalidades esqueléticas graves de Ata, incluindo seu crescimento ósseo excepcionalmente rápido. Ele diz que Ata é provavelmente um feto humano que nasceu natimorto ou morreu logo após o nascimento.

Mas aqueles que acreditam que Ata é extraterrestre não estão nem pensando em mudar de idéia, mesmo com as novas revelações científicas.

“Não sabemos o que é, mas certamente não é um humano deformado”, diz Greer.

Os cientistas, no entanto, dizem que depois dessa nova análise, é hora de enterrar a controvérsia da múmia alienígena Ata.

Fonte: National Geographic

POSTS PATROCINADOS