PUBLICIDADE

O que vem na sua mente quando você pensa em gatos? Provavelmente em como são adoráveis, certo? Mas será que é realmente seguro ficar tão perto de um? Quero dizer, recentemente uma doença que afeta não só os felinos como nós humanos começou a repercutir na mídia.

Para você ter uma ideia, a cidade do Rio de Janeiro, já registrou um aumento de 400%, de 2015 a 2016, com um total de 5 mil pessoas afetadas pela micose chamada esporotricose.

Você deve achar que apenas mais uma doença qualquer que os gatos transmitem, mas não é bem assim. Na realidade, ela é capaz de causar muito estrago para nós, caso tenhamos algum tipo de contato, por meio de arranhões ou mordidas com o animal. E, para piorar, ela é capaz de se espalhar com rapidez, caso não seja tratada na hora.

  1. Crédito: Reprodução

Ao desenvolver a doença, a pele fica bastante ferida, com sensação de ‘ser comida’, camada por camada, até chegar ao osso.

Para você, dono dos tais felinos, é bom prestar atenção em certos detalhes como, por exemplo, os locais em que eles podem ser contaminados como ambientes com solo, palha, madeira, vegetal, farpa ou espinho.

Se mesmo assim o felino acabar sendo contaminado, a primeira coisa que você deve fazer é observar sua pele. Se ele apresentar lesões ulceradas (feridas profundas que não cicatrizam), fique esperto. Ele pode já estar contaminado.

Já para os humanos, os sinais são outros. Diferentes dos gatos, o fungo em nós se manifesta por meio de lesões na pele como um caroço vermelho. Lembre-se que, se não for tratado, pode se transformar em uma enorme ferida nos braços, pernas ou mesmo no rosto.

  1. Crédito: Reprodução

    Para que isso não aconteça com você, lembre-se sempre de ter uma boa higienização no ambiente para que assim estes fungos não se aproximem nem se proliferem, evitando mais contaminações. Além disso, você pode também usar luvas e lavar bastante as mãos depois de tocar o animal.

    Agora, caso o felino seja um bichinho de rua e morrer neste mesmo local, o mais indicado é incinerá-lo, uma vez que o solo onde ele morreu pode ser infectado.

    Por isso, não abandone ou maltrate o animal por simplesmente ter uma suspeita da doença. Este problema tem solução de cura. Precaução em primeiro lugar, certo?!

    PUBLICIDADE