Sozinho, aposentado não desanima ao ver seu trabalho sabotado e planta mais de 15 mil árvores em São Paulo


PUBLICIDADE
A meta era plantar 6 mil árvores. Hoje, já foram mais de 15 mil

Tudo começou em 2003, na zona leste da cidade de São Paulo, onde o aposentado Hélio da Silva começou a plantar árvores por conta própria.

A intenção era óbvia, arborizar locais que eram negligenciados pelos órgãos públicos. Hélio chamou a atenção de muita gente importante, e incomodou algumas outras.

PUBLICIDADE

A meta inicial era plantar cerca de 6 mil árvores, mas 15 anos depois, ele quase triplicou esse objetivo.

Em 2007, durante a prefeitura de Gilberto Kassab,  o parque Tiquatira foi transformado no primeiro linear da cidade e teve banheiros, equipamentos de recreação e outras comodidades instaladas, tudo graças ao trabalho deste senhorzinho.

“As pessoas começaram a caminhar mais aqui, o movimento dobrou”, explica um vendedor de cocos do local.

Problemas ao longo do percurso

Dentre as adversidades que surgiram no caminho deste herói, estão alguns comerciantes e sua própria mulher.

Vários lojistas locais começaram a implicar com o trabalho de Silva pois, segundo eles, a altura da árvore impedia que os clientes vissem suas fachadas e prejudicava o negócio deles.

Por causa disso, as árvores começaram a ser sabotadas e 500 mudas foram destruídas. “De cada dez que eu plantava, arrancavam oito”, lembra.

Foi esse o motivo de sua mulher, Leda Vitoriano, também ir contra esta prática.

De acordo com Leda, além de seu marido comprar uma briga perigosa com os comerciantes locais, quem levaria a fama pelo seu árduo trabalho seriam os vereadores e outros políticos. Mas Hélio não se importou com nada disso.

Otimismo

Mesmo com 62 anos de idade, ele continua otimista com o resultado de seu trabalho na vida das pessoas. “Muitas pessoas perguntam se eu sou louco”, diz.

Ele está cansado de ouvir piadinhas e pessoas perguntando o motivo dele fazer tudo isso. “Pro meu neto e o seu, porque logo, logo você já era”, brinca.

Hélio já chegou a gastar 2 mil reais durante vários meses com esse trabalho voluntário e teve que conseguir autorização da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente antes de plantar. “Algumas pessoas acham que sou funcionário da prefeitura”, explica.

O aposentado diz que quer deixar essa herança para seus filhos e netos mas, acima de tudo, quer retribuir a cidade por tudo de bom que ela deu para ele durante sua vida.

Fonte: Razões Para Acreditar

POSTS PATROCINADOS