Movimento antivacina traz de volta doença fatal. E é por isso que você deve ficar alerta


PUBLICIDADE
Vacinar ou não vacinar? Eis a questão. Mas qual será a melhor opção? Bem, para falar a verdade, por conta da falta da vacinação, doenças como sarampo, caxumba e coqueluche têm reaparecido em países como os Estados Unidos, a Europa e o Brasil.

Mas a que mais tem preocupado os médicos no momento são os casos de sarampo. Segundo a especialista em saúde global Laurie Garrett, do Council on Foreign Relations, os níveis de vacinação para a doença tem despencado. Há comunidades onde a cobertura está abaixo dos 50%.

Isso tudo vem principalmente por conta do movimento antivacina. Segundo alguns pais, a ideia de não vacinar vem por causa do temor dos efeitos colaterais. Mas isso ocorre principalmente pela falta de informação que recebem dos governos que simplesmente decidem não investir nessa conscientização.

antivacina

PUBLICIDADE

Para você ter uma ideia, o movimento começou em 1988 nos Estados Unidos após uma revista científica publicar que o autismo e as vacinas estavam relacionadas. Esta informação acabou sendo inverídica. Mas, de qualquer forma, muitos afirmam sobre os altos riscos de efeitos secundários causados pelas vacinas.

É por causa disso que há cada vez mais famílias optando por não vacinar as crianças. E isso só faz com que doenças praticamente extintas retornem. O sarampo, por exemplo, foi declarado erradicado em 2000, mas em 2014 houveram 23 surtos com 668 infectados e 50 mortes.

Resta agora espalhar melhor sobre a verdadeira importância da vacinação.

Fotos: Reprodução.

Fonte: Virais Feed.

POSTS PATROCINADOS

Beatriz Ponzio

Jornalista, introspectiva, criativa, sensível, sonhadora, apaixonada por dança e pela vida.