Animador percebe dificuldade de jovem surda em se comunicar e cria desenho para ensinar Libras


Desenho animado ensina libras
Desenho animado ensina libras
PUBLICIDADE

Em uma pesquisa demográfica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizada em 2010, 5,1% da população declarou ter deficiência auditiva. Isso equivale a 9,7 milhões de pessoas com algum grau de deficiência para ouvir. Claro que de lá para cá esses números já mudaram, mas continuam altos.

Logo, trabalhar a acessibilidade e inclusão, em especial desde a infância se mostra essencial. Paulo Henrique Rodrigues, de Itajaí, Santa Catarina, tem 27 anos e é animador. Ele se deparou com uma cena conflitante: em uma festa, viu uma jovem surda ter dificuldade de ser compreendida em uma festa. E desse momento, ele resolveu sair do lugar-comum e fazer alguma coisa para transformar essa realidade.

PUBLICIDADE

Início do projeto:

Desenho animado ensina libras

Paulo criou um desenho animado para ensinar Libras – Língua Brasileira de Sinais. E já lançou um trailer do primeiro episódio de Min e as Mãozinhas.

“Nesse dia me dei conta de que aprendi tantas coisas na escola, mas não aprendi Libras. Percebi que há um grande despreparo da maioria para falar com a comunidade surda e vi que a melhor forma para amenizar isso seria focar nas crianças. Foi assim que surgiu Min e as Mãozinhas, um projeto que une entretenimento e educação”, disse Paulo.

Desenho animado ensina libras

Episódios:

O projeto deve contar com 13 episódios. O primeiro mostra uma garotinha surda chamada Yasmin, apelidada de Min. Em um dado momento, ela se encontra com alguns animais e ensina através deles Libras, como falar seu nome e como dizer oi, por exemplo.

Desenho animado ensina libras

A ideia é disseminar a linguagem de uma forma pedagógica, educacional e lúdica. “Tive o auxílio dos educadores do Centro Municipal de Educação Alternativa de Itajaí (CEMESPI) que deram orientação sobre a língua e ainda a supervisão pedagógica de Isabel Hermes que propôs a união das histórias ao método do ensino de idiomas. O projeto deve compreender ainda o uso de livros didáticos. Para as próximas etapas espero encontrar parceiros, empresas que ajudem a dar continuidade ao trabalho”, disse o animador.

Além disso, Paulo quer que as crianças surdas possam assistir os desenhos animados como qualquer outra, levando acessibilidade para o cenário audiovisual. O primeiro episódio deve ser exibido em setembro, nos cinemas da região. Já estamos ansiosos para conferir!

Foto: Reprodução/ Paulo Rodrigues

Fonte: G1

 

POSTS PATROCINADOS