A síndrome dos ovários policísticos pode afetar a sua fertilidade. Entenda como se prevenir


PUBLICIDADE
Fique alerta com essa doença. Conheça os sinais e entenda o tratamento

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 20% das mulheres sofrem com a síndrome dos ovários policísticos durante a sua vida reprodutiva.

A doença é causada por um descontrole hormonal que provoca uma interferência na ovulação da mulher. Isso faz com que cistos se formem após o ciclo menstrual.

PUBLICIDADE

Os sintomas podem ser identificados logo após a primeira menstruação, e o ideal é que a paciente consulte um ginecologista caso sinta alguns deles.

Confira os sintomas:

  • Ausência de mesntruação
  • Menstruação irregular (curta, infrequente, intensa)
  • Pele oleosa
  • Espinhas
  • Ganho de peso muito rápido
  • Excesso de pelos
Foto: Catraca Livre
O ginecologista e obstetra, Jurandir Piassi Passos, falou com o Catraca Livre sobre o diagnóstico precoce. Apesar da doença ser crônica e não possuir uma cura, se descoberta previamente o tratamento pode evitar que a paciente desenvolva diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.
Após a consulta com o ginecologista, clínico geral ou endocrinologista, o profissional indicará um tratamento a base de hormônios pertinentes à situação. O objetivo é regular os hormônios através dos anticoncepcionais.
No sentido estético, pode ser indicado tratamentos dermatológicos para eliminar o excesso de pelos e acne, causados pelos hormônios masculinos.
Além disso, a paciente deverá passar por uma mudança de hábitos alimentares, seguir uma dieta equilibrada e praticar exercícios regularmente. O intuito é melhorar a resistência insulínica, que aumentam a chance de ovulação, caso a mulher queira engravidar.
Lembre-se, esse artigo não substitui uma consulta médica, por isso, se você acha que possui algum desses sintomas, marque uma avaliação profissional.
Fonte: Catraca
POSTS PATROCINADOS